Anna um dos elefantes do hotel da região do Golden Triangle
Trip

A de Ásia

Conhecer a Ásia sempre foi um sonho meu e do meu marido. Foram oito destinos diferentes em 20 dias de viagem. Cada um com seu charme, sua cultura e particularidade.

25 Out 2019 08:30

Por Anna Fasano

 

Começamos por Bangcoc, capital da Tailândia, onde ficamos hospedados no Mandarin Oriental. O hotel fica na beira do rio Chao Phraya e tem uma vista linda. Algo extremamente impactante na viagem para mim foi ver os arranjos que os tailandeses fazem, praticamente esculturas. No hall do Mandarin a cada mês criam um arranjo surreal de lindo. Bangcoc ficou na minha memória como a Nova York da Ásia. Tem muito trânsito, um caos de tanta gente, mas é um lugar muito especial.

 

Com certeza o ápice dessa parte da viagem foram os templos, com os detalhes mais ricos que eu já vi. Um colorido único e muita história envolvida. Depois, embarcamos para o nosso segundo destino, Chiang Mai, também na Tailândia, que conseguiu nos surpreender ainda mais. Lá ficamos hospedados no Four Seasons. Ele fica no meio da floresta e traz uma paz única. Os quartos são bangalôs espalhados pelo verde da mata e com vista para plantações. Ficamos tão encantados com o hotel, e estávamos tão cansados da correria de Bangcoc, que optamos por curtir cada minuto no Four Seasons e descansar.

 

Em Chiang Mai participamos de um dia de plantação de arroz. O melhor da experiência foi o contato com os tailandeses e a alegria que eles transmitem. Cada segundo é cheio de sorrisos e eles explicam tudo com o maior amor e carinho do mundo. Nosso terceiro destino foi muito diferente de qualquer outro que eu já havia vivenciado. Fomos para o Golden Triangle, que é a fronteira entre Laos, Mianmar e Tailândia. Os três se encontram na margem do rio Mekong.

 

Ficamos em outro Four Seasons no meio da floresta, onde os quartos são tendas enormes de lona. A decoração maravilhosa é toda inspirada no mood da selva. Melhor: o hotel tem elefantes! E tem uma razão de ser: o Four Seasons tem um projeto incrível em associação com a Golden Triangle Asian Elephant Foundation, para cuidar de elefantes resgatados do mundo inteiro. Eles ficam soltos por uma área enorme do hotel, livres. Os hóspedes podem interagir com eles, dando comida, banho e muito amor.

 

Next stop? Laos. Estava muito animada para conhecer esse país e sempre escutei que a cidade de Luang Prabang era um charme. Agora posso afirmar: realmente é incrível! Ela fica às margens do rio Mekong e tem um astral espiritualizado de tirar o fôlego. Escolhemos ficar em um hotel boutique na rua principal da cidade, o 3 Nagas MGallery.

 

O ponto alto do Laos para mim foi a cachoeira Kuang Si, onde a água é turquesa. Não dá para explicar com palavras. Parece que você está em um filme. O centrinho de Luang tem lojas lindas de artesanatos, e dá vontade de comprar tudo. Outra atração é o despertar dos monges. Todos os moradores locais se organizam na rua principal às 5h30 da manhã, levando arroz e sentando em tapetes e banquinhos. Você espera os monges passarem e os alimenta.

 

Na sequência, chegamos ao Camboja para conhecer o templo mais famoso do país, o Angkor Wat. Todos os nossos amigos que conheceram o país falavam dele. O Angkor Wat é considerado a maior construção religiosa do mundo. Nós saímos do hotel – escolhemos ficar no Heritage Suits – por volta de 5h da manhã para ir para lá. Uma das atrações principais é ver o espelho d’água que reflete perfeitamente o templo no nascer do sol.

 

Existem muitos templos no Camboja, e eles são um pouco distantes uns dos outros. Alguns são bem grandes, por isso é necessário um guia para falar de toda a história e os detalhes que jamais perceberíamos sozinhos.

 

Finalmente chegou a parte das praias do nosso roteiro. Com o calor que passávamos, estávamos ansiosos por esse momento. Não sei como começar a descrever nosso hotel na ilha de Koh Yao Noi, o Six Senses. Ele fica isolado, com um visual incrível. Os quartos têm uma decoração rústica e superchique, com uma piscina privativa de cair o queixo.

 

Nosso passeio favorito foi conhecer as ilhas próximas de barco, com tudo organizado pelo Six Senses. Optamos por um barco local em vez de lancha e fomos só nós dois, eu e meu marido (mais o marinheiro). Eu via as fotos de lá e sempre pensava: “Nossa, deve ser maravilhoso”. Mas aquele mar ao vivo é coisa de outro mundo! Nosso passeio foi mágico. Tivemos até a sorte de ver macaquinhos, que vieram comer no barco. Dá saudade só de lembrar.

 

Phuket, uma ilha da Tailândia, foi nosso próximo destino, e lá ficamos hospedados no Anantara Mai Khao, que fica afastado do centro da cidade, mas tem uma praia maravilhosa e um pôr do sol ideal. O hotel era tão gostoso que demoramos para sair dele. Estávamos tão cansados de acordar às 6h para turistar que nesse destino resolvemos relaxar. Nosso quarto era praticamente uma casa particular: o terraço tinha uma piscina maravilhosa interligada com a banheira e com um deque delicioso para curtir a vista.

 

Nosso último destino foi a famosa Ilha de Krabi, onde nos hospedamos no Rayavadee Hotel, que é um sonho. Ficamos em um dos quartos instalados em um jardim, que são como casinhas no meio do mato. Ele tinha dois andares, com um terraço enorme no andar de baixo. O hotel oferece guias próprios e frota de lanchas rápidas, com passeios para experimentar o que de melhor Rayavadee e arredores têm a oferecer.

 

Fomos conhecer algumas ilhas, e a cor da água era absurdamente cristalina. O visual parecia uma pintura. Pudemos sentir uma prova da noite, pois a cinco minutos do hotel havia um centrinho superanimado. Para quem quiser ficar mais tranquilo, o Rayavadee oferece quatro restaurantes diferentes. O Grotto é pé na areia e dentro de uma gruta que está aninhada sob um antigo penhasco de calcário à beira da praia Phra Nang. Mais um ponto alto desse sonho de viagem pela Ásia.

 

Veja mais