Moda

Santos de Cartier

Criado em 1904 para o aviador brasileiro Santos Dumont, relógio icônico ganha versões modernas para atrair uma clientela mais jovem e em busca de inovação.

13 Fev 2019 18:19

O primeiro relógio de pulso da era moderna ganhou nova releitura em 2019. Há exatos 115 anos, Louis Cartier entregava ao amigo aviador Santos Dumont, em 1904, um modelo que rompia com tudo o que se conhecia de relojoaria na época: leve, compacto para caber no pulso e com pulseira em couro. Agora, a maison Cartier apresenta novas versões do modelo que ganham em funcionalidade e personalização, mas sem perder seu elegante DNA.

 

 

NOVIDADES
A linha Santos de Cartier foi uma das estrelas da última edição da SIHH 2019 (Salón Internacional de la Haute Horlogerie), o salão de alta relojoaria que acontece todos os anos em Genebra, na Suíça. Para o evento, a Cartier mostrou sua atualização do relógio, apostando no design ultramoderno como na versão Skeleton, ou usando materiais inéditos, como a caixa de titânio ou o fósforo níquel no Calibre 1847 MC, que cria um campo anti-magnético para proteger o relógio de alterações na medição do tempo.
Como recursos de inovação, o sistema SmartLink, que permite o ajuste do tamanho da pulseira com o acrescimo ou retirada de elos de forma simples; e o Quick Switch, dispositivo que permite a troca das pulseiras (de ouro, aço, couro de carneiro ou croco) pelo próprio dono, aumentando a diversidade de uso do relógio.

Inspiração
A linha Santos de Cartier, contudo, manteve a caixa quadrada e os parafusos aparentes, que são marcas registrada desta família de relógios. A inspiração na era da arquitetura insdustrial na Europa, simbolizada pela Torre Eiffel – onde Santos Dumont fez o primeiro sobrevoo de avião da História – permanecem como a assinatura principal desta peça tão atemporal, quanto elegante.
Confira à seguir a seleção de modelos que Carbono Uomo fez para você de duas novidades apresentadas no salão: as versões Skeleton e Chronograph. www.cartier.com

 

 

Veja mais