Motor

Carro elétrico já!

Com lançamentos no Salão do Automóvel de São Paulo e um painel inteiro de debates sobre eles, os veículos elétricos estão mais em alta do que nunca.

por Rodrigo Mora 20 Nov 2018 17:07

Quando três marcas anunciam simultaneamente a venda de seus modelos totalmente eletrificados, já não se pode mais dizer que veículos elétricos são uma tendência – muito menos que são o carro do futuro. O ato de espetar um cabo na tomada para recarregar as baterias de um automóvel deixou os filmes de ficção científica – e a casa da família Jetsons – para ser um hábito seu no shopping, na garagem de casa e até no supermercado.
Foi o que se viu na 30a edição do Salão de São Paulo (terminado no dia 18/11): montadoras e o próprio evento dedicando atenção especial a esta nova modalidade. O painel New Mobility: Trend & Future ofereceu aos visitantes da feira uma série de eventos, palestras e test-drives de modelos eletrificados, algo inédito na história do evento. 

 

O painel do New Mobility no Salão do Automóvel

 

A Chevrolet, por exemplo, se apresentou na feira com dois lados antagônicos: o do Camaro e seu V8 beberrão; e do Bolt e seu motor elétrico que não emite um grama de CO2. O Bolt pretende democratizar a mobilidade elétrica nos EUA, onde parte de US$ 36.620. Aqui a história é outra. Se fosse importado livre de qualquer imposto, custaria cerca de R$ 138 mil (dólar a R$ 3,78), valor consideravelmente inferior aos R$ 175 mil anunciados pela Chevrolet. É mais ou menos o que custa um SUV compacto de luxo, como Audi Q3, Volvo XC40 e companhia.

 

Chevrolet Bolt EV – 2019

 

Poucas horas depois do anúncio da Chevrolet, veio a Nissan, que confirmou a estreia do Leaf para o primeiro semestre de 2019, por R$ 178.400. Valor alto para um modelo com potência similar a modelos compactos, cerca de 140 cv. Mas torque (32,4 kgfm) e autonomia (390 km) são bons. Não é a primeira vez que o Leaf vem ao Brasil. A marca trouxe algumas unidades para teste por volta de 2010, do modelo da primeira geração. Cogitou vender, mas não foi adiante. Agora, na segunda geração e mais tecnológico, o Leaf vem para ficar.

 

Nissan LEAF aparece pela primeira vez na América Latina

 

Aí veio a Renault e anunciou: já é possível encomendar um Zoe, que chega em fevereiro por R$ 149.990. É outro que já ensaiou experimentar o mercado brasileiro, mas como alguém que desiste de pular numa piscina gelada, recuou.

 

Renault Zoe 2019

 

 

Sem falar na Lexus, que lançou dois modelos e avisou que em 2019 só terá modelos híbridos nas concessionárias. E na chinesa Chery, que não anunciou planos, mas mostrou versões elétricas de alguns de seus modelos. 

 

New Lexus

 

É evidente, contudo, que veículos elétricos ainda são produtos caros, distantes da maioria dos consumidores. E não se trata de fenômeno nacional, mas sim mundial: já é consenso em mercados mais evoluídos que a mobilidade limpa custa mais. Recentemente, a BMW revelou que seu lucro havia reduzido, em parte por conta dos investimentos em eletrificação – e a margem menor de receita a cada modelo desse tipo vendido.

 

BMW i30

 

De volta ao Salão de São Paulo, a tal sequência de anúncios não foi mera coincidência. O pano de fundo é o Rota 2030, novo regime automotivo que estabelece regras para a fabricação e comercialização de veículos no Brasil. Seu foco está na eficiência energética, cujas metas impõem às fabricantes investimentos em pesquisa e desenvolvimento. Na primeira etapa, que vai de 2018 a 2022, será preciso evoluir em 12% na redução de poluentes.
Portanto, ter um elétrico na prateleira serve para “equilibrar as contas”: grosso modo, se a Chevrolet quiser continuar a vender um Camaro V8, terá que compensar seu volume de CO2 emitido com um veículo que emita zero poluentes.
Mais: anunciar a venda de modelos elétricos pega bem para a imagem e ainda é uma demarcação de território – quando os elétricos, enfim, se popularizarem, Zoe, Leaf e Bolt já serão velhos conhecidos do mercado.

 

 

Rodrigo Mora

Rodrigo Mora é jornalista especializado no segmento automotivo. Ele assina o blog Mora Nos Carros.

Veja mais