Motor

EcoSport para brasileiros

Testamos o SUV compacto 4×4 desenvolvido pela Ford exclusivamente para o país e contamos tudo para você

20 Fev 2018 13:09

Na última semana estivemos em Porto Feliz, a 117km da capital paulista, para testar a versão aventureira do SUV mais procurado no Brasil, o EcoSport. Agora na versão 4×4, ele ganha o nome EcoSport Storm. À primeira vista, os menos atentos perceberão se tratar de outra versão ao avistar Storm na lateral do veículo. Mas existe muito mais que o diferencia. Serão quatro cores de carroceria, incluindo o marrom Trancoso, que é novidade. Sobre o capô e nas laterais faixas escuras dão ar mais aventureiro para ele que é ligeiramente maior – são 88mm no comprimento e 20mm na largura- que as outras versões. Os para-choques dianteiro e traseiro são projetados para fora, detalhe ressaltado pela pintura em prata fosco. O interior preto (não se preocupe, não existe sensação de desconforto a bordo dele, as linhas das janelas e para-brisa se encarregam de dar muita amplitude) recebe pespontos nos bancos e costura do volante- este com uma pegada extremamente confortável- em tom de laranja queimado. O acabamento nesse tom também aparece no contorno do console e em detalhes nas portas.

Agora que reparamos em todos os detalhes é hora de ver o comportamento dele por de trás do volante. Tudo isso aproveitando o melhor do mais moderno sistema de entretenimento da Ford, o Sync 3, que funciona rapidamente tanto no sistema Android Auto quanto Apple Carplay. O auxilio que qualquer motorista quer para não perder a comunicação enquanto está ao volante, com a facilidade que a tela touch de 8 polegadas bem posicionada dá.

Com o mesmo motor 2.0 Flex de 176 cavalos da versão Titanium (que agora divide o posto de top de linha com o Storm), ele chega com transmissão automática de seis velocidades. O que pra nós representou trocas de marcha quase imperceptíveis tanto a 30 km/h na saída do condomínio quanto na estrada chegando facilmente aos 120 km/h, o SUV responde bem quando uma ultrapassagem se faz necessária. Dando ainda mais agilidade para aqueles que, assim como nós, adoram dar uma acelerada, o paddle-shift no volante traz o elemento esportivo às mãos do motorista.

O momento mais esperado é quando testamos seu grande diferencial, o sistema inteligente de tração 4WD. Adentramos uma estrada de terra e entre as subidas e descidas que incluíam muito desnível constatamos como fica fácil atravessar o terreno e ainda ver pela tela como estava a distribuição do torque nas rodas que é feita pelo sistema sem que a gente precisasse apertar qualquer comando- isso incluiu trechos de terra bem fina por onde seria fácil derrapar. Ao volante a preocupação era com quem ia no banco de trás, mas quando perguntada a passageira disse que como qualquer outra estrada mais acidentada, sentiu um pulo ou outro mas que pode ler o que precisava durante boa parte do trajeto. Realmente a suspensão pouco mais rígida tornou o carro ainda melhor na pista e no off-road sem alterar o conforto do passageiro.

Veja mais