Motor

Pode morar na garagem?

Edifício assinado pelo estúdio Pininfarina em SP é sonho para amantes de esportivos.

16 Abr 2018 15:18

Por Rodrigo Mora

Na vaga número 135, um Bugatti EB 100 SS encara uma Ferrari F50 à sua frente. Em jogo está quem foi o supercarro dos anos 1990: o modelo azul com seu 3.5 V12 quadriturbo de 612 cv e chassi inspirado em tecnologia aeroespacial, ou o rival vermelho, construído para ser um Fórmula 1 de rua, com direito a um 4.7 V12 de 527 cv. A Ferrari não está sozinha: ao seu lado há uma F40, uma das raras 550 Maranello pintadas de azul e uma 348 Spider, de mesma cor.
A tal garagem não é a de um sultão de Dubai ou a de um milionário russo. Ela fica no primeiro subsolo do Cyrela by Pininfarina, residencial de luxo na Vila Olímpia, zona sul de São Paulo. É a primeira construção civil concebida inteiramente pelo estúdio italiano de design, segundo o próprio Paolo Pininfarina: “começamos na arquitetura com desenho de interiores, mas não exteriores, ou no máximo áreas comuns. Atuamos como uma consultoria de design. Esse é um marco porque é a primeira torre concebida e assinada totalmente pela Pininfarina”, explica o neto de Battista “Pinin” Farina, fundador da empresa, e filho de Sergio Pininfarina, autor do estilo de carros como Ferrari F40, Peugeot 406 Coupe e Bentley Azure, entre outros.
O prédio tem 23 andares, com quatro apartamentos de 46 a 50 metros quadrados por andar. Na fachada, um painel em madeira tenta remeter à lateral da Ferrari Testarrossa. Preços vão de R$ 1,3 milhão a R$ 1,4 milhão.
Aqueles carros e seus valores poderiam combinar com os proprietários dos apartamentos, mas ali estão como únicos exemplares de sua linhagem no Brasil, representando o conceito da torre projetada pela equipe-se designers da Pininfarina, sob a batuta de Paolo.
A garagem dos sonhos ainda abrigava modelos como Porsche 918 Weissach Package, Bac Mono e Ultima GTR. Só faltou uma 275 GTB 1964, a Ferrari preferida de Paolo: “foi um dos últimos carros do meu avô. Muito musculosa”.

Veja mais