Motor

Lama, pedra e adrenalina

Levamos o novo Mitsubishi L200 Sport para um passeio nada convencional em Goiás.

17 Ago 2018 21:13

De Catalão (GO)

Não à toa que a Mitsubishi é reconhecida por sua alma 4×4. Convidados pela marca, Carbono UOMO foi à cidade goiana de Catalão para testar a nova L200 Sport 2019, picape campeã de diversos rallies pelo Brasil e pelo mundo. E, claro, o teste teve direito a muita lama, pedra, ladeiras íngremes e adrenalina em doses nada homeopáticas. Como deve ser para um veículo que tem barro nas veias.
Após uma breve visita à fábrica da montadora, fomos levados a assumir o volante dos carros. As novas L200 Triton Sport vêm em cinco versões – GL, GLX, GLS, HPE e HPE-S – todas com motor 2.4l Diesel de 190 cavalos, cuja diferença está nos acabamentos e no acréscimo de algumas tecnologias. Os preços variam de R$120.990,00 (GL) a R$ 174.990,00 (HPE-S).
A pista de testes da marca conta com seis trechos de diferentes pavimentos e obstáculos, do piso de pedras às lombadas seguidas que colocam a prova a suspensão, é possível verificar a existência de qualquer barulho no veículo. Já aprovada é hora de levar a L200 Triton Sport HPE-S (versão topo de linha que testamos) para a estrada e saber como é o dia no controle desse volante.
Assim que pegamos a estrada o sinal do rádio começa a falhar, mas o sistema multimídia que conta com uma tela capacitiva de 7” permite encontrar outra estação em poucos toques. Acima dos 110km/h já esquecemos se tratar de uma caminhonete a diesel tão baixo é o nível de ruído em seu interior. Um pouco mais à frente um pequena entrada à direita já nos leva para a terra, onde um veículo com altura livre do solo de 220mm se mostra ideal.

Na estrada, ainda no asfalto, o baixo nível de ruído no cockpit chama a atenção.

Hora da verdade
Os vários trechos com buracos são pura diversão. Passados alguns desníveis, a estrada permite acelerar um pouco, ainda na tração 4×2. Em um trecho de estrada com mata mais densa, giramos o botão no console para a tração 4×4 reduzida e seguimos em frente. Nos trechos estreitos a L200 parece se adaptar bem. Uma curva próxima, daquelas bem fechadas, até fez a gente calcular o quanto de ré seria necessário para poder fazê-la, mas que nada. Fomos surpreendidos quando os giros no volante e os 30º de ângulo de entrada da picape permitiram a curva sem esforço extra.

A luz começa a cair e é hora de devolver o brinquedo de 5,28 metros de comprimento e 1.075kg de capacidade de carga. Pensamos até em nos oferecer para percorrer o trajeto de Catalão à São Paulo, caso fosse o destino de alguma delas. Compatível com Android Auto, Apple Car Play e Waze, nem nos preocuparíamos com a rota. Mas… não colou. Pena! Foi uma experiência marcante, comprovando o DNA de aventura da marca presente não apenas no modelo, mas em cada curva, cada ladeira, cada desafio enfrentado por ele.

Veja mais