Gastronomia

Volta às origens

Após se tornar um case nacional por produzir vinhos de qualidade no interior de São Paulo, Vinícola Guaspari investe agora na produção de café.

4 Out 2018 10:00

Depois de surpreender a enogastronomia nacional com vinhos produzidos no interior de São Paulo, em em Espírito Santo do Pinhal, que foram premiados no Exterior, a paulista Vinícola Guaspari faz uma volta às origens. Anteriormente uma fazenda de café, que viveu seu momento áureo no início do século 20, a Guaspari ganhou os holofotes no início desta década com seus rótulos tintos Syrah Vista do Chá (2012) e Syrah Vista da Serra (2012), ambos premiados em Londres, no Decanter World Wine Awards. Agora, a marca apresenta o Café Guaspari, em busca de uma experiência ainda mais completa à mesa.
“Percebemos que os universos do vinho e do café conversam muito bem e resolvemos fazer este resgate”, conta Marina Guaspari, diretora executiva da empresa da família e presente ao evento de lançamento do café, na capital paulista.
A produção seguirá o mesmo critério de microterroir adotado para os vinhos, destacando pequenos lotes de terra considerados ideais para a produção dos grãos. Por estar em altitude – alguns lotes plantados estão a mais de 1.200m de altura –, o café ganha em aromas finos, acidez equilibrada e bom corpo. Além disso, tem a temperatura mais amena típica da região de Pinhal, e o solo, mais seco, que interferem diretamente na qualidade.

Cafezal de altitude na Guaspari, em São Paulo

Gourmet
Um dos destaques do novo produto é sua convivência com as videiras. “Acho que é a única propriedade do mundo que tem esta tipicidade: o parreral ao lado do cafezal”, conta o agrônomo responsável pela produção do café, Otávio Foresti. Para ele, esta convivência entre o café e a uva gera uma influência, mas é positiva. “No vinho sauvignon blanc, por exemplo, o aroma remete à café verde. Já os nossos tintos Syrah trazem notas de café torrado”.
Serão 23 hectares de café na propriedade, com seis variedades do grão. A produção atual foi de 600 sacas, mas a meta é ampliar até 1.200. Contudo, a ideia não é a expansão, mas a qualificação do produto. O primeiro café, um blend de torra média das variedades Catuaí Vermelho, Mundo Novo e Obatã, tem notas de caramelo, frutas amarelas e tabaco. O preço do café moído é de R$ 42 e esta à venda na própria fazenda e no e-commerce da marca. www.vinicolaguaspari.com.br

 

 

Veja mais