Trip

Turismo de direitos humanos cresce nos EUA

Aplicativos ajudam viajantes a entender contextos históricos pela primeira vez

26 Dez 2016 12:45
National Museum of African American History and Culture, em Washington D.C.

Nos Estados Unidos, um novo tipo de atração turística está surgindo. Ela está ligada às lutas pelos direitos sociais e civis, aos movimentos sociais dos país e avós de muitos jovens de hoje. Em reportagem publicada nesta segunda-feira, 26, o Skift falou sobre aplicativos para smartphones que ajudam a contextualizar viajantes que procuram a história dos norte-americanos através das vozes da rua.

O Skift diz que organizações de marketing de destino estão lentamente percebendo que os direitos civis são um bem turístico, uma parte valiosa da identidade de um lugar, “como música country em Nashville ou comida cajun em Nova Orleans.” Em Washington D.C., o único museu dedicado à história dos negros do país foi inaugurado este ano. Ele custou US$ 540 milhões e atraiu multidões intensas – os ingressos vendidos com antecedência já estão reservados até março de 2017. E esse é apenas o maior de muitos novos museus de direitos civis dos EUA.

O noticiário diz também que os negros são a parcela demográfica que mais cresce entre grupos de viajantes nos EUA, gastando US$ 48 bilhões anuais com turismo. Atrações que falam sobre a história dos negrosé uma prioridade para a maioria, de acordo com um estudo da Mandala Research.

Dada a contextualização inicial, o Skift lista alguns aplicativos imprescindíveis para entender a história dos movimentos civis norte-americanos:

ALABAMA CIVIL RIGHTS TRAIL
Enquanto muitos conselhos de turismo estadual escondem uma menção obrigatória sobre a história dos negros ali em algum canto de seus sites, o Visit Alabama dá tanta visibilidade aos direitos civis como outros temas. Seu app é visualmente atraente e fácil de usar. Ele conecta os usuários a locais históricos em todo o estado, com o objetivo de inspirá-los visitar todos e fazer uma viagem mais longa. Para o Skift, este é o aplicativo mais bem sucedido dentre todos da lista.

De acordo com o diretor do turismo do Alabama, Lee Sentell, “o turismo dos direitos civis é um interesse crescente para famílias, assim como grupos da instrução,” que viajam pelas regiões norte e meio-oeste dos EUA. Ele também observou que o público para o turismo de direitos civis é cada vez mais multirracial e inclui muitos jovens.

NATIONAL MUSEUM OF AFRICAN AMERICAN HISTORY AND CULTURE
Este inovador novo museu em Washington, D.C. tem, na verdade, dois aplicativos: um para explorar o conteúdo do museu, belamente apresentado, e um para a grande inauguração do museu, que aconteceu em setembro. O último é agora obsoleto, mas suas características eram muito espertas, incluindo um planejador de viagens, que permitia que viajantes procurassem e reservassem hotéis e restaurantes na capital norte-americana, bem como dava mapas de rotas para carros ou do transporte público, entre outras acessibilidades.

ARKANSAS CIVIL RIGHTS HISTORY
Embora o Arkansas não seja famoso per se para a história dos direitos civis, a capital e outras partes do estado viveram muitos momentos impactantes. O aplicativo é um áudio-guia de passeio centrado Little Rock, com mapas úteis para caminhadas e amplo detalhe histórico. O aplicativo invoca a violência e a turbulência da época dos movimentos civis nos anos 1960, criando uma viagem sensorial para o ouvinte. Paradas notáveis na rota incluem locais de linchamento, passeios de liberdade e atrações relacionadas com a história dos nativos americanos e latinos.

GEORGIA CAPITOL TOUR
O aplicativo da capital da Geórgia foca em direitos civis e tem excelentes vídeos de pioneiros negros no governo. Mas, dado que Atlanta tem seu novo e atraente Centro de Direitos Civis e Humanos, de US$ 103 milhões, bem como um aplicativo separado focado em locais importantes para Martin Luther King, o estado poderia modernizar seu app.