Trip

Quais são os resorts alpinos do futuro?

Descubra dos arquitetos que estão promovendo a inovação e o estilo nos resorts de esqui clássicos da França

por Athena Advisers 31 Jan 2018 15:50

Nascido e criado em Tignes, em uma família focada em esqui, o arquiteto francês Sylvain Gianchino cresceu vivendo e respirando a vida nas montanhas. Depois de estudar em Paris, ele inaugurou seu próprio escritório antes de assumir seu primeiro grande projeto, o Complexo Esportivo de Tignes, quando tinha apenas 27 anos. Nesta temporada, o escritório de Sylvain, o SG Architecture, está por trás de alguns dos maiores lançamentos de Val D’Isère, incluindo o elegante restaurante de montanha L”Etincelle. Após 10 anos, perguntamos a um dos maiores inovadores de arquitetura o que esperar com relação ao futuro dos principais resorts da Europa.

Como você começou sua carreira com algo tão grandioso?
O Tignes Espace, o centro de esportes e conferências de Tignes, foi, na verdade, o projeto da minha graduação em Paris. Eu o mostrei para o prefeito de Tignes na época e ele adorou, então ele fez uma licitação para o empreendimento. Foi um grande início de trabalho no mundo real. Eu sabia que tinha uma boa chance, mas também dei tudo de mim para ganhar.

Como a sua origem alpina lhe dá uma vantagem para criar os resorts do futuro?
Eu nasci nos Alpes, então é mais fácil criar projetos aqui. É um mundo pequeno, o que significa que temos as conexões e gradualmente nos tornamos especialistas em construir nas condições especiais criadas pelo clima e pelos riscos de avalanche. Depois do Tignes Espace, imediatamente iniciamos um novo projeto, o hotel La Tovière de Val D’Isère, e depois construímos um télésiège (um teleférico). Foi outro grande projeto. Agora somos 10 pessoas trabalhando em uma série de projetos, de chalés particulares a hotéis e complexos esportivos.

É uma vantagem no seu setor ter uma equipe jovem e dinâmica?
Acredito que sim. É parte da mentalidade da montanha, uma maneira de pensar. A população dos Alpes é muito jovem e há muitas pessoas apaixonadas por esportes e pelo ar livre. Nos Alpes, a construção para no período de inverno, então precisamos ser eficientes e saber o que estamos fazendo para maximizar o tempo que se tem para construir. Devo muito ao prefeito de Tignes, que confiou em mim no meu primeiro projeto, e com o atual prefeito de Tignes e Val D’Isère, Marc Bauer, acontece o mesmo. Ele tem uma visão forte e clara de como os resorts irão evoluir nas próximas décadas.

Então, o que podemos esperar com relação à transformação de Val D’Isère e Tignes nas próximas décadas?
Elas serão umas das principais estâncias de esqui do mundo com certeza. Por quê? Por causa da qualidade dos investimentos e dos empreendimentos que estão sendo realizados no momento. O prefeito tem uma boa visão e, quando se trata de empreendimentos imobiliários, ele está pensando em termos amplos, qual será a sensação de estar lá, o fluxo de tráfego, o centro para pedestres, e não apenas nos empreendimentos individuais que estão promovendo as mudanças. Ele quer que tudo seja perfeito! A outra razão é a grande altitude. A neve foi boa nos Alpes este ano, mas não será nos próximos e Val D’Isère e Tignes têm esta vantagem. Grande altitude, boa política e boa gestão é a fórmula para o sucesso – tudo o que está sendo construído agora em Val D’Isère é de muito alta qualidade.

O que você gosta sobre ser um arquiteto nos Alpes?
Adoro pensar sobre o que o futuro das estâncias de esqui pode ser e criar neste ambiente, projetando novas áreas e desenvolvendo novos estilos de arquitetura alpina com o uso de novos materiais sustentáveis. Não somos arquitetos que recriam o estilo saboiano tradicional. Em vez disso, queremos definir a linguagem do que a arquitetura dos Alpes pode ser daqui a 10 anos. Resorts de esportes transformam-se muito rapidamente. Todas as estâncias de esqui enfrentam uma grande concorrência, então precisam constantemente de novos equipamentos, serviços e restaurantes para serem competitivas. Incluímos nossa visão do que isto significa. Por exemplo, estamos no processo de entrega de um restaurante, o L’Aiguille Rouge, em Les Arcs, conectado a uma tirolesa que proporciona uma experiência de descer a montanha em alta velocidade. Nossa parte é criar a experiência do usuário no restaurante do cume.

Como você descreveria seu estilo?
A maioria dos edifícios dos Alpes foram construídos durante os anos 70. Eram modernos, porém grandes e não muito refinados. Embora respeitemos essa história, nós inovamos, usando os mesmos materiais locais tradicionais, como pedra e madeira, para criar novas formas. Acredito que esta é a solução. Com restaurantes de montanha, por exemplo, vemos como uma forma impressionante pode ser posicionada na montanha e incluir vistas deslumbrantes sem perder o patrimônio visual. A arquitetura saboiana tradicional pode funcionar para pequenos chalés particulares, mas não funciona para projetos maiores.

Qual é o seu projeto favorito até agora?
O que estamos fazendo no momento, o Apex 2100, que será um centro esportivo de 15.000 metros quadrados em Tignes, projetado para treinar os atletas olímpicos do futuro. É um investidor inglês que quer ver algumas medalhas de ouro inglesas no futuro! Para fazer os números funcionarem, projetamos um hotel que ficará ao lado dele. No verão, ele será usado como campo de treinamento para times de rugby e futebol americano.

Como foi crescer em Tignes?
É ótimo quando você é criança, pois você tem todas as instalações esportivas que deseja ao seu alcance. É uma comunidade pequena, por isso você tem muita liberdade, mas ao mesmo tempo, há muitas pessoas internacionais, então você acaba fazendo amigos do mundo inteiro. Quando cresci, pude viajar por todo o mundo. Temos muita sorte de morar ali, não há poluição e as atividades esportivas têm papel de destaque.

Então você esquia todo dia?
Agora minha empresa está localizada em Lyons, para que possamos estar perto dos resorts de montanha, mas também de Genebra, Londres e Paris. Mas sempre deixo meus esquis no carro, então sempre que vou ver um projeto, consigo esquiar um pouco. Tenho sorte porque trabalho muito com restaurantes de altitude, então, quando visito meus clientes, eu consigo ir esquiando para estes encontros. Esta é a melhor parte.

Um Snapshot de Estilo: Como Tornar um Teleférico Elegante
Diferentemente dos teleféricos desajeitados de outrora, o TC10 é um ótimo exemplo de arquitetura alpina contemporânea. Inspirada em um ninho, a estação de esqui tem o formato de um chalé tradicional, porém está pendurada na lateral da montanha, criando uma sensação de delicadeza e fragilidade que contrasta com o poderoso cenário. As fachadas pontiagudas dão à construção uma aparência tradicional. Composta por formas oblongas e poligonais, algumas que sobressaem da estrutura, não há ângulos retos e os espaços não são lineares. Não há nada de óbvio neste projeto. O espaço aberto permite que os esquiadores se movimentem livremente e controla o fluxo dos funcionários e usuários. E o destaque surpresa? Os banheiros! A principal característica do edifício, banheiros de luxo com vista para um cenário impressionante de montanhas majestosas.

Leia essa e outras reportagens da Athena Advisers clicando aqui.

Athena Advisers

Investimento, propriedades e lifestyle. A Athena Advisers é uma consultoria boutique especializada em propriedades high-end em Lisboa, Barcelona, Côte d’Azur, Alpes, Paris e Londres. A agência foi uma das primeiras a fincar bandeira na capital portuguesa prevendo o boom imobiliário que faz da cidade o novo eldorado do real estate internacional.