Trip

Get High in Ams

Saiba quais são as principais espécies de cannabis e quais os melhores coffee shops para ter uma viagem louca – literalmente – em Amsterdã

27 Out 2017 15:29

Por Henrique Volpati, de Amsterdã

Capital da Holanda, Amsterdã com certeza é um dos destinos de viagem mais emblemáticos da Europa. É um daqueles lugares que provocam risadinhas maliciosas nos amigos e sorrisos amarelos em parentes mais conservadores. Tudo acontece por lá, onde um mundo inteiro vive dentro de uma pequena cidade que lida com o sexo e as drogas de forma como nenhuma outra é capaz. É claro que as dezenas de museus e centenas de pontes que cruzam os lindos canais da capital são pontos de interesse dos visitantes. Mas a maioria dos turistas está mesmo procurando o clima de festa e liberdade que só Amsterdã pode proporcionar: um rápido passeio a pé ou de bicicleta pelas ruas e você já vai ver coisas que seriam difíceis de imaginar em qualquer outro lugar do mundo.

Comece caminhando pelo icônico Red Light District, o bairro onde estão localizadas as famosas vitrines com prostitutas. São incontáveis ruas, estreitas e cheias de garotas dos dois lados. Tem para todos os gostos: mais novas, mais velhas, altas, baixas, gordinhas, fantasiadas e seminuas, entre outras tantas. É terminantemente proibido tirar fotos das meninas, e você pode arrumar um grande problema com alguém caso tente. Além das moças, que já são um espetáculo por si só, você vai encontrar no Red Light inúmeros coffee shops, bares e até show de sexo ao vivo.

Quando se fala de coffee shop em Amsterdã, a primeira referência é o tradicional Bulldog, que tem cinco unidades em diferentes pontos da cidade. O que não contam é que eles são bem sem graça e muito lotados, perfeitos para pegar turistas desavisados. A única unidade do Bulldog que vale visitar é o The First, que tem esse nome justamente por ter sido o primeiro de Amsterdã, aberto em 1974.

O que muita gente não sabe sobre os coffee shops da cidade é que, na grande maioria deles, não se vende nenhum tipo de bebida alcoólica, assim como não é permitido fumar tabaco. Então, para fumar um cigarro de maconha bebendo uma cerveja gelada, existem duas soluções: a primeira é comprar a erva e partir para um smoking friendly spot, bares que permitem o consumo de baseados. A segunda é procurar coffee shops que tenham um bar da mesma rede ao lado.

Numa das principais ruas do Red Light District você vai encontrar a rede Rick’s. À direita da rua, fica o coffee shop com diversos tipos de strains – as espécies de maconha – e produtos como cookies e bolos feito da planta. À esquerda, o bar com diversos tipos de cervejas, drinques e até mesa de sinuca. Se tiver sorte, você consegue sentar em uma das concorridas mesas externas bem ao lado do canal, nas quais pode-se consumir álcool, maconha e até um cigarro comum. Mas o coffee shop a que você definitivamente não pode deixar de ir é o Barney’s Coffeeshop. O ambiente não é dos melhores (o Relax é bem mais cool), mas há strains exclusivas produzidas por lá, e a casa oferece vaporizadores individuais em cada uma de suas mesas, para que a experiência fique ainda mais única. Quando sair, aproveite para passar no Winkel 43 e matar a famigerada larica comendo a tradicional e maravilhosa torta de maçã deles, considerada a melhor da Holanda. Ou você achou que não daríamos uma dica de docinho sequer?!