Trip

Cozinha savoyarde em Courchevel

Duas dicas de restaurantes de culinária tradicional dos Alpes

por Shoichi Iwashita 28 Nov 2016 12:01
O terraço do restaurante ski-in-ski-out que fica no topo do hotel Pomme de Pin, que tem uma bela vista para a pista, o vilarejo e as montanhas, no centro de Courchevel, pertinho da Croisette

Courchevel fica na Savoia (em francês, Savoie), um departamento da região de Auvergne-Rhône-Alpes. Mas a Savoia de hoje era um pedaço do condado-depois-ducado-depois-reino que pertencia à Casa di Savoia, uma das nobres famílias mais antigas da Europa (com mais de mil anos), e abrangia não só esta região no sudeste da França (chegava até Nice, hoje na Provence), mas também parte da Itália (o Piemonte) e o sudoeste da Suíça (Vittorio Emmanuele II, príncipe da Casa di Savoia e Rei da Sardenha, doou o território para a França em 1860, em gratidão à ajuda de Napoleão III na unificação da Itália, país do qual ele seria o primeiro rei). Por isso a gastronomia savoyarde, essa cozinha simples, rústica e bem calórica (cheia de queijos derretidos, perfeita para alimentar o corpo no inverno ainda mais rigoroso do alto das montanhas; pense em fondue, em raclette, em tartiflette, em charcuterie seca, sempre acompanhados de pães e batatas), ultrapassa as fronteiras francesas (o biscuit de la Savoie, por exemplo, é um bolinho seco bem parecido com os biscotti savoiardi, aqueles que são embebidos no café para o preparo do tiramisù; e a charcuterie é a mesma salumeria, tão tradicional no norte da Itália, e cada região tem suas receitas próprias).

E como o nível de qualidade aqui é altíssimo (lembre-se que dos 23 hotéis Palace em toda a França, três ficam no minúsculo vilarejo Courchevel 1850, um dos cinco níveis que formam Courchevel), com restaurantes que somam 10 macarons Michelin, vai ser caro, mas bem difícil comer mal. Não deixe de provar os queijos da região, o Beaufort e o Tomme de Savoie, e terminar sua refeição tomando uma dose de génépi, o licor feito com a mais conhecida das plantas aromáticas que é símbolo dos Alpes, o génépi, um pequeno arbusto que cresce de forma selvagem nas montanhas entre 1500 e 3800 metros de altitude.

GENÉPI [Centro] Chef local, lareira e puro aconchego
No centro do vilarejo 1850, a três minutos a pé da Croisette, está este restaurante que leva o nome do licor típico dos Alpes, o génépi; que há 20 anos serve comida típica da Savoie; e que tem um casal como dono (Monsieur e Madame Mugnier; ele é o chef, ela comanda o salão). Pequeno, intimista, aconchegante, com direito à lareira acesa no salãozinho da entrada e cara de montanha (tem restaurante em Courchevel que parece balada russa), e comida bem feita sem custar uma fortuna, o Génépi é o tipo de restaurante que a gente adora frequentar. Abre todos os dias para o almoço do skieur (por € 35, com entrada, prato e sobremesa) e para o jantar (calcule € 90 por pessoa). Rua Park City, sem número, Courchevel 1850. Telefone 04 7908-0863. Para acessar o site, clique aqui.

LA POMME DE PIN [Centro] Ski-in-ski-out, melhor vista para o almoço
Esse restaurante ski-in-ski-out no terraço do topo do hotel Pomme de Pin tem uma das melhores vistas de Courchevel. O cardápio é simples e leve (perfeito para o almoço durante a prática de esportes) e ainda tem umas poltronas onde você pode dar uma relaxada e fazer a digestão, antes de pegar os seus esquis e seguir pista abaixo. Rue des Chenus, sem número, Courchevel 1850. Telefone 04 7908-3688. Para acessar o site, clique aqui.

Shoichi Iwashita

Compulsivo por informação, pesquisador contumaz, apaixonado por livros, jornais e revistas, e colecionador de moleskines com anotações de viagens e restaurantes, o resultado que almeja são textos-em-contexto sobre experiências, de forma que o leitor, de posse delas, aproveite só o melhor de cada lugar; em Nova York, Tóquio, Paris ou São Paulo.