Trip

Amor à Primeira Vista

Como uma abordagem sustentável com relação a projetos imobiliários pode dar alma a uma cidade

por Athena Advisers 20 Dez 2017 14:07

Entrar no Cinema Odeon, uma relíquia da belle-époque situada perto da elegante avenida central de Lisboa, a Av. Liberdade, é como voltar no tempo. Raios de sol atravessam o telhado de vidro, arqueado como o casco de um navio, lançando sombras que formam um tabuleiro de xadrez sobre as madeiras e os escombros empilhados no centro. Mas olhe em volta e as características originais – as varandas carmesim, balaustradas de ferro forjado e o palco monumental – permanecem intactas. Do lado de fora, sob o sol intenso, a intrincada fachada está coberta com uma capa protetora para impedir que esta pedra angular do patrimônio cultural da cidade sofra mais perturbações. Construído em 1923, este belo e silencioso cinema já foi um caldeirão borbulhante da cena social da cidade. Entretanto, à medida que a concorrência das grandes marcas aumentou e a Era de Ouro do Cinema, que teve seu auge entre os anos 40 e 60, entrou em declínio, ele foi se degradando, e eventualmente fechou suas portas em meados da década de 90, após lutar por uma década mostrando matinês pornográficas. Para Arthur Martins, o zelador e confidente de longa data do Odeon, foi um dos momentos mais tristes. Intrinsecamente envolvido com o imóvel, Martins começou a trabalhar no cinema quando tinha apenas 12 anos, depois que seu pai morreu, subindo de posto para se tornar o projecionista. Foi nessa época que ele viu pela primeira vez e se apaixonou por sua futura esposa, uma atriz que atuou em La Novia, filme que ele tinha passado inúmeras vezes. Eventualmente o casal se encontrou e, 56 anos depois, ainda continuam juntos. Porém, o destino do Odeon não parou ali….

Algo sobre sua arquitetura evocativa, sua alma de coração leve e o ar de celebração que ele preserva inspiram uma séria paixão. Quando o incorporador e fotógrafo de paisagem francês, Julien DuFour, viu o prédio pela primeira vez, “foi amor à primeira vista”. Infelizmente, o Odeon já tinha dono. Prometido para outro comprador, a venda foi concluída e, de coração partido, Julien e seu sócio português, o incorporador Jorge Capelo, optaram por nomear sua nova empresa Odeon Properties, em homenagem à icônica preciosidade da belle-époque. “Na época grega e romana, o Odeon era o lugar onde todas as atividades culturais e artísticas aconteciam, que achamos extremamente apropriado para como abordamos os projetos imobiliários em Lisboa e a tendência criativa subjacente da cidade.”, explica Julian. Quase um ano depois, algo levou Julien a ligar para os proprietários para saber como estava seu amado prédio. Por sorte, a venda tinha acabado de dar errado e os dois moveram montanhas para se tornarem os novos proprietários do Odeon.

“O projeto anterior tinha planejado demolir o interior do teatro e transformá-lo em apartamentos. Toda a sua história iria desaparecer completamente e o edifício se tornaria algo totalmente diferente. Para Jorge e eu, isto era absolutamente inconcebível. Ele tem que manter sua alma, seu DNA. É realmente algo especial e não podíamos sacrificar essas características. Acreditamos que é parte do patrimônio da cidade, então, preferimos construir muito menos e, em vez disso, valorizar a história que o teatro conta.” Trabalhando com o respeitado arquiteto Samuel Torres, o par optou por manter a integridade do interior do edifício e construir apenas 10 apartamentos, abrindo o espaço para o público com “um restaurante fantástico”.

As espaçosas propriedades de 1 a 3 quartos foram concebidas como ateliers evocativos e teatrais. Variando entre 100 e 230 metros quadrados, priorizam as características originais, como pés-direitos de 5 metros de altura, combinados com armações de aço inspiradas no estilo belle-époque de Gustave Eiffel. “Morando aqui você vai sentir que realmente está morando em um lugar especial, em um lugar único no mundo”, diz Julien. De mãos dadas com a preservação do patrimônio cultural, as instalações de última geração devem incluir um estacionamento robotizado com tecnologia x, onde os proprietários poderão pedir seu carro utilizando uma chave magnética ou programar sua entrega através de um app, para que o carro já esteja esperando quando eles chegarem. “Não tinha como colocar uma garagem embaixo do prédio, poderia comprometer a fundação, então, esta foi a solução que nos permitiu oferecer uma qualidade ainda melhor de serviço para os residentes.”

Enquanto os apartamentos devem estar entre os mais estilosos e exclusivos da cidade, quando se trata do restaurante, Jorge e Julien insistem em manter a oferta acessível e disponível para todos. “Estamos conversando com diversos chefs portugueses no momento para montar uma parceria. Algumas pessoas e grupos de restaurantes internacionais famosos que gostariam de fazer algo ficaram interessados, mas não seria compatível com a alma do edifício. A experiência tem que fazer sentido para o imóvel: queremos oferecer menus de almoço por €10 e menus de jantar mais elaborados. O Odeon nunca foi exclusivo – era apreciado pelo público e deve continuar assim”.

Para começar a trazer a grande dama de volta à vida, a Odeon Properties se associou recentemente à empresa de hospedagem Silver Spoon para uma série de eventos pop-up para celebrar o edifício e a sua transformação. “Os proprietários quase choraram quando viram. Para nós não se trata de imóveis, mas de comemorar e honrar este pedaço da história”. Uma agência boutique, é esta a abordagem que o par leva para todas as suas incorporações residenciais, optando por assumir apenas um projeto por vez e se concentrar em torná-lo algo especial. Projetos anteriores incluem São Bento, Flores 45 e Ferragial 29.

“Agora é um momento realmente excitante para estar em Lisboa, ver o seu renascimento e assistir muitos locais e imóveis serem trazidos de volta à vida. Nossa função é garantir que o que fazemos seja deslumbrante e que capture a alma em vez de simplesmente dar o ok e fazer tudo com pressa. Em algumas cidades esta abordagem com relação à revitalização atingiu um custo enorme, com locais perdendo a noção do que os tornaram especiais para começar. Esta é a última coisa que queremos para Lisboa. Eu acredito que a abordagem quanto a projetos imobiliários deve ser sustentável, para que melhore a cidade sem mudá-la por completo ao longo de uma geração.”

Athena Advisers

Investimento, propriedades e lifestyle. A Athena Advisers é uma consultoria boutique especializada em propriedades high-end em Lisboa, Barcelona, Côte d’Azur, Alpes, Paris e Londres. A agência foi uma das primeiras a fincar bandeira na capital portuguesa prevendo o boom imobiliário que faz da cidade o novo eldorado do real estate internacional.