Motor

Formiga Atômica

Moto que traz o puro sangue das bobbers, a Forty-Eight desliza macio pelo asfalto

por Piti Vieira 2 Dez 2016 10:54
Créditos: João Bertholini

A linha Dark Custom, da Harley-Davidson, é mais uma que aposta no visual minimalista para atrair o motociclista que busca uma moto urbana com traços exclusivos. É o caso do modelo Sportster Forty-Eight que traz de volta o icônico tanque peanut, que surgiu no ano de 1948, mas só equipou a primeira Sportster em 1957, com o lançamento da linha. Com estilo baixo, já que a altura do banco não chega a 70 centímetros do chão, e quadro estreito, a motocicleta é ágil para o dia a dia na cidade. Outro fator que reforça a vocação cosmopolita é a capacidade do tanque,que, com seus quase 8 litros, não segura longas viagens.

A Forty-Eight tem o puro sangue das bobbers, motos criadas no fim da Segunda Guerra Mundial com o mínimo de acessórios possível. A característica desse estilo, que já tinha um único mostrador para o velocímetro e apenas um farol, ganha força com a nova tecnologia da parte elétrica, que reduziu os chicotes de fiação, interruptores, relés e fusíveis. Ela também traz garfos completamente novos, de 49 mm de diâmetro, na dianteira, para absorver de forma mais progressiva as imperfeições do solo. Além disso, teve o visual estiloso atualizado: ponteiras de escape cromadas e pintura do tanque com linhas horizontais são soluções inspiradas em modelos dos anos 1970. Entretanto, a Forty-Eight ainda ostenta seus traços mais marcantes: pneus largos (130 mm na dianteira), para-lamas cortados e retrovisores posicionados sob o guidão.

A montagem emborrachada do motor reduz a vibração sentida na hora de dirigir, exaltando a força do motor V-Twin transmitida para o piloto. Outros dois pontos que favorecem a pilotagem é o guidão na altura do punho e a pedaleira na altura do pé, o que tornam a posição de direção mais natural e menos cansativa.

Texto originalmente publicado na revista Carbono Uomo n° 2

Veja mais