Moda

Dapper quer ser grande

Loja em São Paulo, escritório em Nova York, holding com marcas como Zeferino e Twins For Peace. Vinícius Dapper busca ser muito mais do que um designer de sapatos.

por Fabiano Mazzei 27 Dez 2018 00:01

Não faz muito tempo, três anos, e ele pensou que era o fim. Todas as economias, empréstimos, dinheiro da família, tudo colocado no negócio – um atelier de sapatos sob medida em Porto Alegre. Talento reconhecido, clientela sólida no segmento de casamentos, mas faltava tornar a empresa definitivamente rentável. Contudo, naquele ano de cofres vazios, 2015, veio a primeira reviravolta: um convite para levar as suas criações a um desfile em Xangai. Uau! Um ano depois, novo convite. Destino: Paris. Dois sinais claros de que estava no caminho certo.
“Levei uma mala de sapatos que tinha no atelier e entreguei. Mas, na volta, decidi que tinha de mudar tudo ou fechar”, conta Vinícius Dapper, designer de sapatos que acaba de abrir a sua primeira loja na meca do consumo brasileiro, São Paulo.
Foi na capital paulista o renascimento de sua marca homônima, criada há seis anos com um amigo e um cunhado. Vinícius Dapper retornou de Paris, fez mais uma mala de sapatos e partiu rumo a São Paulo para encontrar clientes e, quem sabe, um sócio. Por sorte, encontrou os dois numa mesma pessoa – o chefe de um amigo dele na cidade, fã de sapatos. Desde então, 2016, Dapper não para de crescer.
De pré-falimentar à expansão como num passe de mágica. As oportunidades começaram a pipocar. Em 2017, ao procurar imóvel comercial para alugar na rua Oscar Freire, se deparou com o dono da marca de acessórios Zeferino. Sabedor da má fase financeira da marca, Dapper fez a oferta de compra sem nem mesmo consultar o seu sócio. Ele não poderia deixar aquela chance de adquirir uma empresa com mais de 50 funcionários, fábrica própria em Novo Hamburgo (RS) e lojas em shoppings de prestígio, como o Iguatemi SP. Meses depois, foi a vez da marca de sneakers francesa Twins For Peace – de Maxime Mussard, da família fundadora da Hermès –, cair-lhe no colo. Nova oferta de compra e, zap!, mais uma marca para a holding.
Em 2018, além da loja nova em São Paulo, a empresa abriu escritório em Nova York, para facilitar a internacionalização da marca Vinícius Dapper. Por lá, haverá a oferta de uma linha feminina de calçados – no Brasil, apenas modelos masculinos estão à venda. Carbono Uomo esteve na recém-inaugurada boutique do estilista e bateu um papo com ele. Acompanhe.

 

Carbono Uomo – Quando começou sua paixão por sapatos?
Vinícius Dapper – Ah, desde os 12 anos! Lembro que na época dos primeiros tênis importados da Reebok a chegar no Brasil, eu ia na loja e olhava a etiqueta, para ver se eram “Made in Brazil”.

 

Carbono – Você sempre trabalhou no setor?
Dapper – Sempre. Fui estagiário numa fábrica de Novo Hamburgo que produzia tênis para a Puma e a Nike. Depois, trabalhei para a Alpargatas, onde aprendi muito sobre branding.

 

 

 

Carbono – Como nasceu a sua marca?
Dapper – Foi em 2012. Depois de uma viagem de pesquisas que fiz pelos Estados Unidos e Canadá, voltei determinado a empreender. Meu cunhado e um amigo foram meus sócios. Na época, fazia sapatos para noivas e noivos, sob medida. Cheguei a desenhar seis, sete sapatos em um único dia! Mas eram modelos únicos, não chegava a produzir em escala e disperdiçava todo o trabalho de desenvolvimento.

 

Carbono – Foi quando veio a crise. Você chegou a pensar em parar?
Dapper – Em 2015, quando a crise apertou mais, a empresa ficou bem ameaçada e decidi que era hora de mudar tudo. Estava sem dinheiro e até a relação com a família (que investiu no negócio) ficou abalada. Foi quando uma estilista gaúcha que iria desfilar em Xangai me convidou a fornecer os sapatos da apresentação dela. Um ano depois, a mesma coisa, mas com um estilista brasileiro que desfila na semana de moda em Paris. Peguei uma mala de sapatos, fui até a França e entreguei os pares para o desfile. Mas na volta, a situação financeira estava muito complicada e decidi romper com o modelo de negócio que eu estava fazendo, de sapatos sob medida.

 

Calçados 100% nacional, fabricados em Novo Hamburgo (RS), valorizam o trabalho artesanal

 

 

Carbono – Como se deu o ressurgimento da marca?
Dapper – Vim a São Paulo com uma mala de sapatos e comecei a fazer contatos. Um amigo meu indicou o chefe dele que gostava de sapatos. Vendi um par e, na mesma noite, o mesmo cliente me procurou e sugeriu sociedade.

 

Carbono – E como vieram as aquisições: Zeferino e Twins For Peace. Como aconteceram?
Dapper – A compra da Zeferino foi em 2017. Eu estava procurando um imóvel para alugar na Oscar Freire e entramos na loja onde funcionou a marca Zeferino. Conheci o dono e o diretor, e fiz uma oferta de compra da marca ali mesmo, na hora. A Zeferino era 20 vezes maior que a VD na época, fábrica com 50 funcionários que produzia em Nova Hamburgo, tinha loja no Shopping Iguatemi… Além de ser muito bem posicionada.
A Twins surgiu também no ano passado. Em 2014, fiz um projeto com eles que não chegou a evoluir muito, mas fiquei amigo dos caras. Três anos depois, o CEO da empresa esteve no Brasil e me disse que o fundador, Maxime, estava cansado e não conseguia encontrar mais o equilíbrio da marca. Então, fiz a oferta de compra e eles aceitaram. A Twins será fabricada no Brasil, mas as vendas serão concentradas na Europa e Estados Unidos. Por aqui, apenas em 2020.

 

 

Carbono – Hoje você está à frente de uma holding que fabrica 1 mil pares de calçados por mês. Ainda consegue tempo para criar sapatos?
Dapper – Quero manter esta função criativa sim, porque é onde me realizo. Gosto muito do lado business, mas adoro criar. E o meu processo criativo é bem simples, ocorre naturalmente. Como nos tempos que eu criava sapatos para noivas ali na hora, no antigo atelier em Porto Alegre.

 

Carbono – Como definiria o seu estilo, a proposta original de sua marca?
Dapper – O estilo do meu trabalho é combinar as técnicas mais tradicionais de produção com um design mais contemporâneo. O desenho em si pode ser mais arrojado, mas o jeito que a gente concebe o produto é inevitavelmente clássico. Aposto em um design de produto diferenciado para poder criar uma conexão emocional com o cliente. Queremos liderar este movimento de valorização do calçado artesanal nacional. Mostrar que o nosso sapato é concebido como uma arte, tem qualidade e capacidade de mudar o semblante de quem o observa.


www.viniciusdapper.com.br

 

 

Fabiano Mazzei

Jornalista especializado na cobertura do mercado de luxo mundial, ele é também consultor de comunicação para empresas e gestor digital da plataforma Carbono Uomo.

Veja mais