Moda

Uma entrevista com Davide Cerrato

César Rovel se encontra com diretor da divisão de relógios da Montblanc

por César Rovel 23 Fev 2017 10:20

Durante o encontro anual do Montblanc 4810 Club, em Santa Monica, na Califórnia, conversamos com Davide Cerrato, Diretor da Divisão de Relógios da Montblanc. Davide Cerrato chegou à Montblanc com uma considerável bagagem na indústria relojoeira, após muito bem-sucedidas passagens pela Panerai e pela Tudor. Como não poderia deixar de ser, nosso principal assunto com Cerrato, um cavalheiro de estilo e sotaque inconfundíveis, que não negam a sua origem Italiana, foi a nova coleção Montblanc TimeWalker.

Relógios & Relógios: Poderia nos falar um pouco sobre você e sobre como chegou ao mundo da relojoaria?

Davide Cerrato: Eu estudei Design Industrial na Politécnica de Turim, na Itália, e então fiz um MBA para aprender como associar o design aos negócios.

Normalmente as pessoas têm um dos lados do cérebro mais evoluído, o lado da esquerdo da criatividade ou o lado direito da racionalidade. No meu caso, os dois lados se equivalem, então no começo de minha carreira tive dúvidas, pois eu poderia executar bem tanto tarefas relacionadas à criatividade como aos negócios. Então eu não sabia muito bem qual direção tomar.

Quando entrei para a Panerai, na área relojoeira, minha capacidade de atuar em ambos os lados ao mesmo tempo fez a diferença. Quando cheguei à Tudor, tive a oportunidade de atuar tanto no design e desenvolvimento de produtos como no marketing e na comunicação. O fato de poder atuar em várias áreas ao mesmo tempo foi claramente uma vantagem, pois tive a possibilidade de unir a criação com a comunicação de forma muito consistente.

Foram 4 anos na Panerai e 9 anos na Tudor, até chegar à Montblanc em 1o de Dezembro de 2015.

R&R: Você fez um grande trabalho na Tudor, parabéns!

DC: Muitíssimo obrigado!

R&R: Em seu cargo na Montblanc, você está diretamente envolvido no design dos relógios?

DC: Sim, absolutamente! A posição de responsável pela área relojoeira da Montblanc foi criada com a minha chegada. Ela inclui a responsabilidade sobre a produção nas manufaturas de Le Locle e Villeret e também sobre o design e desenvolvimento de produto, que são feitos em Villeret, assim como o design de protótipos e a criação de material de divulgação e marketing.

Então, estou pessoalmente envolvido em tudo relacionado à relojoaria na Montblanc.

R&R: Fale-nos um pouco sobre a nova coleção Timewalker.

DC: A nova coleção Timewalker é realmente uma afirmação bastante importante e está ligada à antiga história da Minerva e à sua fantástica herança, com seu grande legado em “stopwatches” e cronógrafos.

Nós pretendemos com ela entrar com bastante força no segmento de relógios esportivos, já que até agora não tínhamos nenhuma coleção esportiva. Nossa intenção era ter uma linha esportiva e ligá-la ao mundo do automobilismo através do legado da Minerva e seu Rally Timer. Nós partimos do desenho característico de seus contadores e decidimos renová-lo completamente.

Resultou um design forte, com contadores sobrepostos, um aro giratório de cerâmica em todos os modelos, o fundo em cristal de safira fumê, novas pulseiras, em particular a de borracha, bastante técnica, e seu novo fecho de báscula.

As características técnicas visam um alto desempenho, com resistência à água até 100 metros de profundidade para toda a coleção, o teste Montblanc 500 Horas para garantir a confiabilidade de todos os modelos.

As caixas são todas escovadas para diminuir os riscos, e trabalhamos muito com a visibilidade, com cristais de safira antirreflexos, material luminescente nos ponteiros e índices e mostradores simples para uma leitura mais fácil.

Com isto, acredito que agora temos uma coleção de alto desempenho, muito dinâmica e esportiva.

R&R: Você iniciou na Montblanc quando o desenvolvimento da nova coleção provavelmente já havia começado…

DC: Sim, já havia algum desenvolvimento, mas quando assumi mudamos consideravelmente a sua orientação; então praticamente recomeçamos do zero e em 10 meses a coleção já estava pronta.

R&R: De fato, com base em seu trabalho anterior, podemos perceber um toque pessoal nesta nova coleção.

DC: Sim, é verdade.

R&R: Diga-nos como funciona o seu processo criativo.

DC: Ele sempre tem início com uma ideia criativa, e no caso da coleção Timewalker era criar um cronógrafo muito esportivo, com uma ligação muito forte com o mundo do automobilismo.

Com a ideia já bastante desenvolvida, procuro integrar os diferentes elementos e então começo a trabalhar com desenhos e esquemas, promovendo diferentes interações entre os desenhos.

Então, criamos modelos tridimensionais impressos em cera a partir dos desenhos e trabalhamos com volumes e proporções, até que os transformamos em um protótipo real em metal com um mostrador, ponteiros e assim por diante.

Realizamos diferentes interações e buscamos aperfeiçoar cada um dos componentes até chegar ao produto final.

Na Montblanc, trabalho muito próximo de Jerôme Lambert, que também tem muita sensibilidade no desenvolvimento de produtos, trocando ideias, experiências e feedbacks de forma muito dinâmica.

R&R: Já visitamos as manufaturas Montblanc em Le Locle e a Minerva em Villeret, e percebemos uma grande diferença entre elas; a primeira muito moderna, high-tech; a segunda, bastante tradicional, à moda antiga. Como você vê essa dualidade?

DC: Nós já estamos trabalhando para integrar os dois mundos, com duas diferentes formas de expressão relojoeira, e a nova coleção é um exemplo muito bom desta integração, pois temos peças de alto volume, como o Automatic, o Chrono e o Chrono UTC, e temos o Rally Timer, uma peça para colecionadores com movimento Minerva e o 1/1000 Second, que é uma cronógrafo muito complicado, mas adaptado aos códigos da nova coleção TimeWalker.

Ao final, podemos ver claramente como os diferentes mundos colidem para trabalhar muito bem juntos e promover um alto valor tanto no que se refere a performance industrial como a sofisticação e alta relojoaria em termos de movimento.

R&R: Todos os movimentos Minerva são submetidos ao teste Montblanc de 500 Horas?

DC: Sim, todos os movimentos Minerva e os movimentos com complicações e high-end Montblanc já eram testados, e agora com os novos TimeWalker, decidimos estender os testes a toda a coleção.

R&R: Muito obrigado pelo seu tempo e atenção!

DC: Eu é que agradeço!

César Rovel

César Rovel fundou em 2006 o site Relógios & Relógios, dedicado exclusivamente à relojoaria. Anualmente faz a cobertura dos salões Baselworld e SIHH – Salão Internacional da Alta Relojoaria, na Suíça, e do SIAR, no México. É membro do Cartier Fine Watchmaking Club e do Montblanc 4810 Club.

Veja mais