Moda

Rolex apresenta modelos em Baselworld

Relojoaria comemora 50 anos do Sea-Dweller em 2017

por Victor Collor 24 Mar 2017 15:21

O Rolex soltou ontem o release sobre os novos modelos apresentados na BaselWorld 2017. Sem dúvida a marca tem olhado cada vez mais para o passado e enxergando aquela boa e velha história de que o que deu certo lá atrás, continua dando certo nos dias de hoje.

No ano passado eles apresentaram o então novo Explorer com características do primeiro modelo de 1953 – vale ressaltar que o modelo em questão é o verdadeiro relógio de James Bond. No pós guerra na Jamaica, quando Ian Fleming escreveu as novelas que viriam a se tornar a maior saga do cinema, o modelo escolhido pelo autor foi o Explorer mas por estratégia da marca e lançamentos da época, o modelo que foi parar no pulso de Sean Connery em Dr. No. em 1962 foi o Submariner Big Crown.

Histórias à parte, ainda no ano passado vimos o novo Daytona que tem características do modelo que ficou conhecido como Paul Newman, um dos mais cobiçados para os colecionadores dos modelos vintage, além da volta do Air King sendo o primeiro modelo a usar as cores verde e amarela da marca no logo. Ame-o ou deixe-o!

Em 2017 a Rolex continua com o pé no passado e lançou alguns modelos que também vão abrir os olhos dos fanáticos por vintage, em especial o novo Sea-Dweller que vem com a marcação em vermelho em comemoração aos 50 anos desde que foi lançado em 1967.

Tanto o Submariner como o Sea-Dweller que têm a marcação em vermelho no mostrador, são relógios cobiçados pelos colecionadores de vintage e têm valor mais alto em comparação a modelos da mesma época que não têm a tal marcação. Coisas que somente a história e o mercado de relógios antigos dão o tom por serem mais raros. Outra novidade é a lupa na data que até então não era vista no modelo da marca que pode chegar a maiores profundidades no pulso dos mergulhadores.

Outro modelo apresentado foi o Sky-Dweller, relógio dos viajantes de plantão com duplo fuso horário. Confesso que não é dos modelos que mais me agradam, ainda mais por ter sido somente apresentado com metais preciosos. Pela primeira vez eles lançam o modelo com a combinação de ouro e aço. Um fato é que não estamos mais nas épocas de ouro, economia global andando em passos curtos e o mercado asiático não tão aquecido. Talvez essa seja uma solução – boa por sinal, da marca para dar mais saída ao modelo.

Para os amantes de alta velocidade, o Daytona foi apresentado com a nova pulseira em borracha Oysterflex, todo em ouro e vem com a luneta em Cerachrom que lembra o modelo de 1965 – mais uma volta ao passado.

Confesso que não sou grande fã dos modelos em ouro e deixo isso para o mercado do Oriente <édio, mas sim, é bonito.

Foi apresentado também o novo Datejust, modelo lançado em 1945 pela marca e que sobrevive – muito bem por sinal, até os dias de hoje, passando de geração em geração, sendo assim um clássico. O Yacht-Master II também teve alterações e vem com novo mostrador e ponteiros.

Que a marca continue olhando para o passado e agradando àqueles que fizeram a marca chegar aonde chegou. Há que se renovar, mas a renovação tem que vir com um olho no passado e outro no futuro, afinal são mais de 100 anos de história.

No Brasil, você irá encontrar esses modelos em breve na Boutique Rolex no Shopping Iguatemi em São Paulo.

Veja mais