Lifestyle

Quando Dinheiro Traz Felicidade

A história do aplicativo GuiaBolso alia satisfação pessoal e financeira – a começar pela dos próprios fundadores

6 Nov 2017 11:14

Por Barbara Gil

A determinação para ajudar as pessoas é algo comum na vida de Thiago Alvarez, 37, e Benjamin Gleason, 39. Durante cinco anos, Thiago trabalhou como diretor financeiro na ONG Alfabetização Solidária. Com um orçamento milionário, a organização atendia a 5 milhões de alunos de 2 mil municípios diferentes. Já Benjamin morou na favela da Rocinha por três meses, como voluntário. Os dois profissionais se conheceram em 2007, na consultoria estratégica McKinsey. A experiência de Benjamin e Thiago em finanças e a vontade de causar impacto social foi o combustível para que, em maio de 2012, fundassem o GuiaBolso.

O investimento inicial, de R$500 mil, saiu do bolso dos empreendedores. Eles venderam um apartamento para conseguir o dinheiro. Depois, atraíram investidores de peso, como a Kaszek Ventures, o e.BRICKS e a International Finance Corporation. Ao todo, foram quatro rodadas de venture capital.

O aplicativo sincroniza os dados bancários dos usuários e ajuda a organizar os gastos de uma maneira simples. Mas o serviço vai além de um relatório. Tem certa inteligência, mostrando aos usuários opções de crédito mais baratas caso eles entrem no cheque especial ou paguem juros rotativos do cartão de crédito. Quando isso ocorre, os bancos parceiros, entre eles Sorocred e Semear, pagam uma comissão à startup.

Hoje, o GuiaBolso tem mais de 3 milhões de usuários. Por meio da leitura dos extratos bancários, a startup fez uma análise do impacto social causado: as pessoas que usam o aplicativo mais que dobraram a quantia de dinheiro que economizavam, 25% deixaram de usar o cheque especial e 15% passaram a investir. Com as opções de crédito sugeridas, ao todo, mais de R$90 milhões deixaram de ser gastos com juros.

Allan Balthazar Dutra, 32, acessa o aplicativo há quatro anos e teve um insight financeiro que melhorou a sua vida pessoal. “Ao perceber o quanto gastava com cigarros, o GuiaBolso me ajudou a parar de fumar”, conta.

Localizada na cidade de São Paulo, a startup tem hoje 120 funcionários. A head de marketing e produto do GuiaBolso, Paula Crespi, afirma que Thiago é muito apaixonado pelo negócio. Não é coincidência, portanto, que paixão, associada à responsabilidade e à criatividade, seja para o fundador um dos pré-requisitos no recrutamento de novos profissionais. “Ninguém mais faz o que estamos fazendo. Por isso, valorizamos a habilidade para criar”, afirma Thiago. Como ajudar pessoas sempre foi um de seus objetivos de vida, o empreendedor está feliz com os resultados do negócio. “Me motiva saber que estamos produzindo algo em escala que pode melhorar a vida de milhões de pessoas.”

Desligar-se totalmente do trabalho não é fácil. A mente não para. Pelos celulares, é possível ler e-mails de qualquer lugar. Apesar disso, Thiago não abandona as atividades que lhe dão prazer. Praticar ioga com a esposa e tocar guitarra estão entre elas. Durante os fins de semana, seu tempo é dedicado à família. Pai de três filhos e com o quarto a caminho, o empreendedor diz que busca dar atenção suficiente para contribuir com o desenvolvimento deles.