Lifestyle

Premium Economy da Air France vale a pena?

Uma análise da classe exclusiva de uma das maiores companhias aéreas do mundo

por Shoichi Iwashita 3 Ago 2016 12:52

Só o fato de você não ter de brigar por espaço para o braço nos apoios entre as poltronas, como acontece nas classes econômicas, já é uma vantagem de voar Premium Economy na Air France, a classe intermediária entre a famigerada-mas-econômica e a executiva. Mas, assim como acontece com as classes Business e La Première, a primeiríssima classe statement da principal companhia aérea francesa, a gente só consegue ter a experiência completa — check-in em lindos balcões Sky Priority, opção de selecionar refeições mais rebuscadas para comer a bordo (você faz isso pelo site, acessando sua reserva) — quando volta para casa, nos voos saindo do aeroporto internacional de Paris, o Charles de Gaulle CDG, de onde saem todos os voos para o Brasil. Mas vamos ao que interessa, por ordem de prioridade nas nossas preocupações quando o assunto é viagem de avião.

A POLTRONA PREMIUM ECONOMY
Esteticamente, as poltronas da Premium Economy são superiores às da econômica; dão bem uma impressão de classe executiva: as luminárias de leitura individuais, os fones noise-cancelling, o braço mais largo entre as poltronas, o suporte para os pés. Mas essa impressão vem com uma MÁ NOTÍCIA: apesar de a sensação sentado é de ter mais espaço (e tem mesmo), a diferença do ângulo de reclinação da poltrona — esse item tão importante para a qualidade do nosso sono a bordo — é mínima; são apenas cinco graus a mais :- (a Economy reclina 118º e a Premium Economy, 123º; para comparar, a poltrona da Business reclina 180º, ou seja, 57º a mais que a Premium Economy se transformando numa cama, completamente horizontal). Por isso, não espere um sono melhor, mesmo com os apoios ergonômicos para a cabeça. A diferença, no entanto, está na distância entre as fileiras (de 81 cm para 96,5 centímetros, ou seja bem mais espaço para as pernas), na largura da poltrona (de 43 cm para 48 centímetros), a tela touchscreen (que lembra um iPad, com 12 polegadas, enquanto na econômica o tamanho da tela é de nove), a mesinha bem maior (dá para trabalhar com o laptop com bastante conforto, usar o mouse, deixar o copo com sua bebida) e, como escrevi anteriormente, a largura do braço entre as poltronas (ah, cada poltrona tem à sua disposição uma entrada USB e uma tomada para carregar os gadgets, e se o seu vizinho não estiver usando, dá para pegar também a tomada dele :-). A configuração nas apenas três fileiras de Premium Economy nos Boeings 777-200 e 777-300 da Air France é 2-4-2 (duas poltronas nas extremidades e quatro poltronas no meio).

O SERVIÇO
Também existem diferenças no serviço entre a Economy e a Premium Economy (tudo bem que eu trocaria tudo isso por 10 graus a mais de reclinação nas poltronas): apesar de poder levar a mesma quantidade de bagagem despachada (duas malas de até 32 quilos), você pode levar como bagagem de mão até 18 kg (são 12kg aceitos a bordo na econômica); pode usar os balcões Sky Priority durante o check-in (os mesmos que atendem os passageiros de classe executiva); tem embarque preferencial, ou seja, vai entrar antes no avião (vai sair antes também, já que você estará nas primeiras fileiras logo atrás da classe executiva); suas bagagens chegam antes na esteira; e os comissários vão te dar um amenity-kit com meias, escova e pasta de dente, protetor auditivo e uma capinha descartável para você forrar seus fones antirruído, dentro de lindas bolsinhas que dá para guardar. Se você estiver em alguma conexão internacional — e apenas nesse caso — pode também tentar usar uma sala VIP (sujeita à disponibilidade de lugares) pagando uma taxa entre US$ 35 e US$ 50 em aeroportos nos Estados Unidos, no Rio de Janeiro, em Honolulu, em Douala e Johanesburgo (não adianta querer usar as salas VIPs nem em São Paulo GRU nem em Paris CDG). No serviço de bordo, a única diferença entre o cardápio da Economy para a Premium Economy é a entrada, um pouquinho mais rebuscada (as opções de pratos principais são as mesmas) e uma caixinha com docinhos da Fauchon de souvenir, pois o champagne (champagne mesmo, não espumante) é servido em todas as classes — inclusive na econômica — como aperitivo antes das refeições. Um gostinho de França já a bordo. Só uma pena que seja servido em copinhos de plástico.

A DIFERENÇA DE PREÇO ENTRE ECONOMY, PREMIUM ECONOMY & BUSINESS: PARA QUEM?
Os preços das passagens aéreas são dinâmicos: eles variam MUITO em função das promoções cada vez mais frequentes, da demanda e até do seu interesse por uma passagem específica (o algoritmo dos sites das companhias aéreas “percebe” que você está interessado naquela passagem pelo seu histórico de navegação e joga o preço um pouquinho para cima, olha isso). A questão é que a diferença de preço entre uma tarifa Economy e uma tarifa Premium Economy pode ser MUITO GRANDE: de 30% a quase 130% a mais, ou seja, mais do que o dobro do valor. E o problema não acaba aí quando você descobre que, muitas vezes, a diferença entre a tarifa Business — que oferece MUITO MAIS, incluindo uma poltrona flat-bed, salas VIP etc. — e a Premium Economy pode ser de apenas 25%, 30% (nossa, eu ia ficar muito bravo se eu comprasse uma poltrona Premium Economy e soubesse que, por causa de 30%, eu teria trocado uma poltrona BEM mais confortável e que reclina 180º por uma que reclina 123º). Conclusão: se a diferença de tarifa estiver entre 25% e 40% eu acho que super vale a pena viajar na Premium Economy da Air France, com mais espaço na poltrona, para as pernas, mesa maior. Se a diferença ultrapassar isso, não. E você pode parcelar a passagem em até 4 vezes sem juros comprando pelo site, clicando aqui.

POR QUE A GENTE VOA AIR FRANCE?
Para quem consegue dormir no avião e chega descansado no destino pronto para aproveitar o dia, a Air France tem os melhores horários nas rotas São Paulo GRU – Paris CDG e Rio de Janeiro – Paris CDG: voos diretos saindo diariamente das duas cidades brasileiras às 15h30 e 16h, respectivamente, e chegando em Paris às 8h da manhã. As outras companhias aéreas que fazem voos diretos São Paulo – Paris só saem tarde da noite, chegando lá às 15h, 16h (e aí, até você sair do aeroporto, chegar ao hotel, tomar uma ducha, já acabou o dia). E tem também o fato de que a gente ama a Air France como marca, como história. O site e o aplicativo são lindos e agradáveis de navegar, e a gente AMA a comunicação da companhia aérea e sua preocupação com o design, sempre tentando expressar o savoir-faire francês #FranceInTheAirUooooou. E os preços são competitivos.

RECOMENDAÇÕES PARA O SEU VOO DE VOLTA NO CHARLES DE GAULLE
Fique atento ao seu email já que a Air France envia informações sobre a sua viagem no dia anterior ao voo, incluindo o terminal (ou 2E ou 2F ou 2G) e os horários em que estarão abertos os balcões para despacho de bagagem. Nesta minha última viagem em junho de 2016, eles me mandaram um email avisando para chegar ao aeroporto com antecedência maior porque era sábado, era temporada de férias e haveria uma greve de parte dos funcionários do aeroporto Charles de Gaulle (atenção quanto a isso: em Paris, sempre tem alguma greve! Ou do transporte público, o que deixa o trânsito um inferno, ou de funcionários do aeroporto, ou de funcionários da Air France; é o único aeroporto onde eu perdi os dois voos de toda a minha vida; sempre por causa de alguma greve.)

Outra coisa importante: o check-in fecha UMA HORA antes da hora do voo, isto é, se o seu voo estiver marcado para as 23h30, você só tem até às 22h30 para entregar sua bagagem no balcão (não deixe de considerar o tempo da fila!). Depois deste horário-limite, você não consegue mais despachar a bagagem. Já o embarque, ou seja, A PORTA DO AVIÃO, FECHA 20 minutos antes do horário da decolagem. E não se esqueça de que depois de fazer o check-in e passar pela imigração você ainda precisa pegar um trenzinho — dentro do próprio terminal; o terminal 2 é enorme — para acessar a sala de embarque (sem falar nos procedimentos de segurança)! Por isso, siga o conselho do nosso Checklist Definitivo de Viagens e chegue ao aeroporto com uma antecedência de 3 a 4 horas; principalmente se você quiser fazer os procedimentos de Tax Free.

Shoichi Iwashita

Compulsivo por informação, pesquisador contumaz, apaixonado por livros, jornais e revistas, e colecionador de moleskines com anotações de viagens e restaurantes, o resultado que almeja são textos-em-contexto sobre experiências, de forma que o leitor, de posse delas, aproveite só o melhor de cada lugar; em Nova York, Tóquio, Paris ou São Paulo.

Veja mais