Lifestyle

Filmmakers pedem câmeras criptografadas

Carta divulgada pela Freedom Of The Press Foundation exige proteção de conteúdo por parte das fabricantes

15 Dez 2016 09:24

A Freedom Of The Press Foundation escreveu uma carta assinada por 150 filmmakers de todo o mundo. Ela foi enviada para diversas fabricantes de câmeras fotográficas e cinematográficas pedindo por aparelhos que criptografem o conteúdo. A alegação da organização é que o material produzido por documentaristas e jornalistas em zonas de conflito é muito vulnerável, caso o aparelho seja tomado por forças locais.

A carta não detalha qual tipo de criptografia ou sistema de segurança eles desejam, apenas que vídeos e fotos sejam mais protegidos dentro dos aparelhos, de forma que só sejam acessados após o usuário entrar com uma senha.

O maior problema da ideia é que a solução não é simples e barata. Para gravar um arquivo em alta definição, é utilizado muito espaço no cartão SD. Isso significa arquivos mais pesados e de maior tempo de processamento. Além disso, a velocidade de gravação é fundamental para a qualidade da imagem. Quando mais rápida a imagem for processada pelo aparelho e gravada no cartão, melhor o resultado.

A questão enfrentada aqui é como criptografar essa quantidade de informação com a mesma qualidade e velocidade atuais. Para isso, não apenas os softwares das câmeras deveriam ser refeitos, como novos microprocessadores dedicados à criptografia de máxima eficiência terão que ser inseridos.

As fabricantes teriam um custo alto para criar (já que a criptografia de imagens em tempo real é bem diferente das formas já existentes) e aplicar a tecnologia. Isso sem entrar no mérito da contratação de engenheiros de segurança para desenvolver os softwares. É certo que o custo seria revertido para o consumidor, que seria obrigado a pagar valores maiores ainda por uma câmera.

Em contrapartida, a carta da Freedom of The Press Foudation alega que as empresas que entregassem um produto com esse diferencial, teria larga vantagem no mercado. A organização acrescenta que as fabricantes de câmeras tem a responsabilidade de proteger seus clientes, assim com outras empresas de tecnologia.