Lifestyle

Dimitre Galego reflete sobre futuro urbanístico de SP

Fundador da Ping Point dá suas ideias para melhorar o desenvolvimento da cidade

por Artur Tavares 29 Set 2016 10:49

Uma das iniciativas que promovem o esporte e o convívio social em espaços públicos paulistanos, a Ping Point instala mesas de pingue-pongue em áreas como Largo da Batata, em Pinheiros, e Largo do São Francisco, no Centro, além de unidades do Sesc e em outros bairros. A história da empresa pode ser lida aqui. Em conversa com um de seus fundadores, Dimitre Galego, a Carbono Uomo quis saber como ele vê a melhoria do uso das áreas públicas da cidade. Falando sobre a recuperação e conservação destes espaços, Galego se mostra esperançoso. “Nos últimos anos, São Paulo vem ampliando a discussão sobre espaços públicos. Apesar de acharmos que ainda há muito no que avançar, parece que estamos indo na direção certa, com mais participação das pessoas e espaços com qualidades melhores.”

Ele acredita que a retomada de grandes áreas, como o Minhocão e a Paulista, é fundamental para que outras áreas passem por transformações semelhantes: “Essas iniciativas fazem com que as pessoas reflitam sobre a necessidade e a qualidade dos espaços públicos. Levamos a mesa na abertura da Paulista e pudemos constatar a alegria que as pessoas tinham por estar usando um espaço que antes era reservado para os carros.”

Galego ainda arrisca uma última sugestão para melhorar ainda mais a qualidade da metrópole. “São Paulo deveria seguir o exemplo de cidades como Paris, Londres e Madri, que revitalizaram seus rios, transformando suas margens em grandes parques públicos.”

Artur Tavares

Sob o signo de câncer, nasceu de oito meses. Desde este infortúnio, mostrou-se impaciente. Soube aproveitar esta peculiaridade e transformá-la em curiosidade. Odeia rejeitar convites para restaurantes, está sempre com um livro e adora passar os finais de semana em meio à natureza, com suas companhias favoritas e o melhor da música eletrônica.

Veja mais