Lifestyle

Como viver diferente em 2018

Seja a mudança: ideias simples para o dia a dia

por Athena Advisers 30 Jan 2018 11:41

O problema global de consumo de plásticos e seu impacto no planeta não é novidade, porém, nas últimas semanas, a conscientização tornou-se uma tendência. Juntamente com os principais jornais do Reino Unido que adotaram a causa, Theresa May tornou-a central em sua política e as empresas responsáveis, como os grandes supermercados, já estão sentindo a pressão. Embora a crescente conscientização seja fundamental para promover uma mudança no consumo humano, o próximo passo é promover uma mudança pra que nossas atitudes e ações sigam este exemplo.

Para mudar fundamentalmente os padrões comportamentais, as pesquisas demonstram que precisamos sentir o impacto emocionalmente ou em um nível pessoal. Uma dica é assistir ao documentário A Plastic Ocean. Este premiado documentário lançado no início do ano passado teve um rápido impacto global graças à força e simplicidade da envolvente narrativa sobre a extensão do problema do plástico em nossos oceanos. No Chile, cidades litorâneas proibiram sacolas plásticas em resposta ao filme. (Se você ainda não viu, veja aqui). Em alguns lugares, como Bali, praias inundadas por plástico demonstram que a mudança deve ocorrer o mais rápido possível.

Com a Athena Advisers como uma orgulhosa parceira da Plastic Oceans, que apoia sua iniciativa para promover a conscientização global, compartilhamos 4 rápidas dicas sobre em que prestar atenção no seu dia a dia e as escolhas alternativas que você pode fazer.

—4 MANEIRAS SIMPLES DE MUDAR O SEU IMPACTO—

NO ARMÁRIO:

O que saber
A moda é a segunda maior poluente do meio ambiente depois da indústria do petróleo, do processo de fabricação aos materiais que compõem as roupas que usamos. Fibras sintéticas (como nylon, viscose, poliéster, rayon e lycra) compõem cerca de 60% das roupas que usamos e geralmente são fabricadas e depois descartadas como moda rápida. E pior, quando lavamos estas roupas, microfibras são liberadas passando pelos filtros dos sistemas de tratamento de esgoto e acabam no oceano onde se tornam pílulas tóxicas que são consumidas pelos peixes que… nós então comemos.

O que você pode fazer?
Verifique as etiquetas antes de comprar: fibras orgânicas são sempre a melhor opção. Para diminuir o impacto do que você já tem no armário, você pode lavar roupas sintéticas em um saco de lavar roupa (guppy bag) que retém grande parte das fibras. Para novas compras, explore as inovadores capas de chuva Insane in the Rain, a marca de roupas de praia Finch Designs, a empresa de calçados superchique Veja Shoes e a marca de óculos Sea2See, que fabricam produtos modernos a partir de plástico oceânico reciclado.

NO BANHEIRO:

O que saber
Da maquiagem ao hidratante, a indústria da beleza está repleta de embalagens plásticas. E isto não é tudo – outras palavras-chave para as quais se deve ficar atento quando for comprar algum produto são microesferas (agora proibidas no Reino Unido, Canada, Nova Zelândia e em alguns estados dos EUA) e polímeros sintéticos, que dão aos produtos a textura desejada, mas são essencialmente a mesma coisa que injetar toxinas plásticas na sua pele. Não tem sentido fazer ioga e tomar suco verde quando o maior órgão do corpo está sendo besuntado de plástico diariamente. Para as mulheres, outro grande poluente plástico vem dos produtos de higiene feminina. Além do risco à saúde causado pela absorção interna de resíduos plásticos, absorventes e tampões convencionais estão repletos de plástico (aplicadores, embalagens e materiais dos produtos). Em média, uma mulher joga fora 300 destes itens por ano, e nenhum deles pode ser reciclado.

O que você pode fazer?
Uma alternativa ecologicamente correta para o cuidado feminino, os coletores menstruais são uma ótima opção já há algum tempo. Outro bônus? Você só precisa comprar um e reutilizá-lo todo mês. Considerando que uma mulher gasta em média £10 por mês em produtos de higiene feminina, isto equivale a uma economia de £1.200 em uma década. Alternativamente, a Tampon Tribe é um serviço de higiene feminina por assinatura que oferece tampões e absorventes 100% livres de plástico, biodegradáveis, de algodão orgânico certificado, sem toxinas, hipoalérgicos e sem produtos químicos.

EM VIAGENS:

O que saber
Dos 10 principais itens encontrados em limpezas de praias em todo o mundo, as garrafas plásticas aparecem em segundo lugar, seguidas por sacolas plásticas e canudos. A pessoa usa em média 424 sacolas plásticas por ano, das quais apenas 4 são recicladas.

O que você pode fazer?
Um dos maiores desafios para o dia a dia é a água potável, especialmente quando estamos fora de casa ou viajando. Geralmente, quando estamos no exterior, os bons hábitos que cultivamos em casa podem ser deixados de lado quando a água engarrafada parece ser a única opção. Para o dia a dia, invista na sua própria opção de garrafa – a Hydroflask e a Cobo Bottles são as favoritas. Para água potável de qualidade, adoramos o GoPurePods, um sistema portátil de purificação de água (apenas para água potável) que filtra/elimina as impurezas da água da torneira. Dura seis meses, o que equivale a 2.000 garrafas plásticas de uso único, salvando o planeta e a sua carteira.

NO ESCRITÓRIO:

O que saber
A Dell se comprometeu a manter os plásticos fora do oceano através do processamento dos plásticos coletados nas praias, rios e áreas litorâneas e utilizá-los como parte de um novo sistema de embalagem para o novo laptop XPS 12 2-in2 em todo o mundo. O projeto piloto irá manter inicialmente 16.000 libras de plástico fora dos oceanos. Esses laptops serão feitos de plásticos 100% reciclados, 25% dos quais são provenientes dos oceanos.

O que fazer?
Diga adeus à Apple, ou espere que isso incentive o gigante do design a nivelar sua moral com sua estética.

Leia essa e outras reportagens da Athena Advisers clicando aqui.

Athena Advisers

Investimento, propriedades e lifestyle. A Athena Advisers é uma consultoria boutique especializada em propriedades high-end em Lisboa, Barcelona, Côte d’Azur, Alpes, Paris e Londres. A agência foi uma das primeiras a fincar bandeira na capital portuguesa prevendo o boom imobiliário que faz da cidade o novo eldorado do real estate internacional.