Gastronomia

Toro Sushi promove omakase

Menu-degustação surpresa é estrela das duas unidades paulistanas do restaurante

7 Dez 2017 11:05

Entregar-se às mãos do chef. Essa é a proposta do Toro Sushi, nas suas unidades dos Jardins e Moema, em São Paulo, para o menu-degustação e surpresa da casa, o “omakase”, um voto de confiança dado pelo cliente ao chef, responsável pela escolha das receitas. O restaurante japonês, vencedor do prêmio de Melhor Restaurante Oriental segundo o júri da revista Go’Where Gastronomia de 2017 e que está no seleto roteiro do Guia Michelin, principal publicação gastronômica do mundo, disponibiliza duas opções de cardápio: o Omakase, com 8 etapas (7 pratos e 1 sobremesa) e o Omakase Sushi, com uma seleção de sushis e 1 sobremesa.

O omakase, uma sequência surpresa de pratos, é a melhor forma de conhecer o trabalho dos sushimen da casa, bem como de apreciar iguarias típicas e pratos mais ousados. Ao sentar no balcão, curtindo uma música ambiente agradável, é possível acompanhar, de perto, o preparo das receitas dos chefs Jyun Kaduoka (ex-Kinoshita, Osaka, La Brasserie Erick Jacquin e Culinart, em Hong Kong), e Bié (ex-Yabany e Sushi Deck). No sushibar, dois diferenciais: o balcão é mais baixo, na altura de uma mesa, com poltronas ao invés de bancos, para trazer maior conforto aos clientes. E no menu, sushis, niguiris e enrolados transformam-se em obras de arte e de sabor pelas mãos dos chefs.

O Omakase pode contar com entradas de mariscos e pescados, ussuzukuri (fatias de robalo acompanhada com shimeji confitado no azeite extra-virgem, brotos de rúcula, raspas de limão-taiti e flor de sal, ao molho ponzu), sashimis, sushis, grelhados e até opções fritas. Já o Omakase Sushi apresenta uma sequência de nigiri sushi (feita tradicionalmente e moldada à mão com uma fatia de peixe cru sobre uma pequena porção de arroz com um leve toque de wasabi), preparada com uma grande variedade de produtos. O prato pode contar, primeiramente, com pescados brancos, mais leves, como o pargo ou o robalo. Os peixes brilhantes, mais fortes, como carapau e sardinha, vêm em seguida, junto de inúmeras opções de mariscos, frutos do mar e ovas.

Alguns dos pratos levam a alga nori, responsável por dar aos pratos um sabor característico: o umami. Conhecido como “o quinto sabor”, (além do doce, salgado, azedo e amargo), o umami – descoberto pelos japoneses em 1908 – pode estar presente na carne, nos tomates, vegetais, cogumelos e molhos, levando a uma explosão sensorial na boca, que persiste mesmo após a refeição. Na tradução direta do japonês, “umami” significa “sabor delicioso”.

Para harmonizar, há saquês japoneses como o Hakushika Junmai Daiginjo, com um sabor encorpado e aromático, e o Hakushika Junmai Chokara, com um sabor seco e refrescante, que são da Adega Hakushika, fundada em 1662, que traz uma tradição milenar de produção, com as águas da montanha de Rokko, a famosa Miyamizu, literalmente “água sagrada”, considerada a melhor do mundo para produção de saquê. É possível escolher, também, entre as cervejas japonesas como a Sapporo Premium, com um sabor leve e refrescante, elaborada a partir de lúpulo, água mineral da fonte e levedura de cerveja. A cerveja Sapporo leva o nome da cidade onde é produzida e pode ser vista em seu processo de fabricação no Museu e Jardim da Cerveja Sapporo, uma das cervejarias mais famosas do Japão. O omakase é uma verdadeira imersão na cultura japonesa. Um tour gastronômico guiado pelos sushimen da casa.