Design

A renovação arquitetônica de SP

Jovens arquitetos, ativistas e artistas que estão mudando a teia urbana paulistana

por Mariana Barros 29 Ago 2016 12:41
Da esquerda para a direita, na fileira de trás, Thomas Frenk, Rodrigo Oliveira, Miguel Muralha, Marcus Vinicius Damon, Fabio Riff, Marcos Boldarini, Lucas Nobre e Yuri Vital; na fileira da frente, Mariane Takahashi, Kathleen Chiang, Guilherme Ortenblad, Guilherme Bravin, Fabrizio Lenci, Rosa Clara Alves, Mariana Gortan, Victor Paixão e Paula Sertório. Foto por Manu Oristanio

O asfalto pode continuar árido, mas São Paulo é hoje uma das cidades mais produtivas do País. No mundo todo, cada vez mais a riqueza e a força dos grandes centros estão em sua criatividade, naquilo que são capazes de inovar – muito mais do que em sua capacidade industrial. São as boas ideias o principal motor urbano, e São Paulo ganha impulso com uma geração de arquitetos, artistas e ativistas que exploram outras formas de viver a metrópole. Jovens, e sem medo de experimentar, eles criam projetos capazes de mudar a percepção das pessoas sobre os espaços. Em ações provocativas e bem-humoradas, combinam poética e política, concreto e natureza, lúdico e preocupação social, estética e funcionalidade. Vão dando, assim, uma importante contribuição para melhorar o que não funciona e apontar novos problemas da velha metrópole. Conheça a seguir alguns dos principais talentos por trás dessa bem-vinda transformação.

SÃO PAULO ARQUITETURA
Em um ponto delicado da área central, perto da cracolândia, no encontro das alamedas Nothmann e Barão de Piracicaba, a Porto Seguro decidiu investir em cultura e lazer como forma de combater a insegurança e reanimar o centro paulistano. Coube ao escritório de Miguel Muralha, 32, e Yuri Vital, 35, desenhar o espaço cultural do complexo (foto), um monolito de concreto aparente com dobras, fendas, paredes assimétricas e partes em vidro que inovam na estética ao mesmo tempo que melhoram a acústica e a iluminação. Além da área expositiva, há salas de aula e administrativas e integração com a praça que reúne restaurante e teatro. saopauloarquitetos.com

arquitetos0429082016

VAPOR 324
Formado por alunos da Escola da Cidade, Fabio Riff, 30, Fabrizio Lenci, 28, Rodrigo Oliveira, 29, e Thomas Frenk, 29, o escritório ramificou sua produção por arquitetura, arte, ilustrações, audiovisual e design gráfico. Entre os projetos, destaca-se o restaurante Tuju (foto), na Vila Madalena, em que a cozinha fica na parte da frente, separada da rua por uma vitrine. Outros trabalhos mais artísticos trazem provocações sobre o espaço e a cidade. É o caso de Secções, em que figuras são projetadas em camadas translúcidas, dando a impressão de serem tridimensionais, e do Guia San Pablo, que a equipe define como “uma desculpa para se perder e se encontrar na cidade”. Nele, são contadas histórias a partir da gastronomia local, com fotos, ilustrações e montagens do tipo pop-up. vapor324.com

arquitetos0529082016

BOLDARINI ARQUITETURA E URBANISMO
O escritório que leva o nome de Marcos Boldarini, 41, tornou-se uma das principais referências brasileiras em habitação popular. Com bons projetos, ele comprovou que pessoas de baixa renda podem viver bem. É essa a mensagem do Cantinho do Céu, urbanização de uma área no Grajaú, à beira da represa Billings: deck, campo de futebol e até cinema ao ar livre passaram a compor a paisagem local. Boldarini trabalhou com o escritório Elemental, do chileno Alejandro Aravena, vencedor do Prêmio Pritzker deste ano, em um projeto em Paraisópolis, que não chegou a ser construído. Atualmente, prepara reforma em um bairro pobre de São Bernardo do Campo, melhorando as condições de vida de 3 mil famílias. boldarini.com.br

CAIO ANDRADE
Com 29 anos, é autor do projeto Praia de Paulista (foto), que instala placas sinalizando praia nos locais de lazer dos paulistanos, como o Minhocão, a Avenida Paulista e o Parque do Ibirapuera. Também fez a série Não Disponível, na App Store, para chamar a atenção para lugares que só existem na vida real, como o Beco do Batman, na Vila Madalena. Caio explora projetos colaborativos com desdobramentos digitais. Uma de suas iniciativas mais recentes é o Free Likes, em que, a exemplo da campanha Free Hugs, de distribuição de abraços, oferece likes no Facebook para questionar nossa obsessão com o placar de empatias virtuais. hicaio.com

arquitetos0229082016

GUIL BLANCHE
Paisagista, 26, é idealizador do Movimento 90° (foto), fundado em 2013 para revestir com jardins verticais as empenas cegas de paredões da cidade. É responsável pelo Corredor Verde do Minhocão, que prevê o plantio de 8 mil metros quadrados de verde nas laterais de edifícios ao longo do viaduto. Boa parte dos jardins é concebida em parceria com artistas plásticos. No edifício Santa Filomena, por exemplo, também no Centro, o desenho formado por plantas na lateral de 604 metros quadrados leva a assinatura do artista Pedro Wirz. Até julho, serão dez paredões verdes ao longo do viaduto mais polêmico de São Paulo. facebook.com/movimento90

GUILHERME BRAVIN E MARCUS VINICIUS DAMON
Sócios do Estúdio Módulo, 26 e 30 anos respectivamente, a dupla organiza as ações do Cura, iniciativa que inclui premiação e treinamento para arquitetos aprimorarem suas representações gráficas. O Cura teve sua segunda edição em abril, elegendo as melhores propostas arquitetônicas com o tema Transposições, para falar das dificuldades de mobilidade nas cidades. O prêmio é um concurso de ideias que valorizam o diálogo com a metrópole, privilegiando pedestres e ciclistas e feito em parceria com o site ArchDaily e a Livraria Bookstore. O vencedor deste ano foi uma equipe da Universidade Federal do Ceará (UFC), que criou uma passarela para ciclistas e pedestres sob uma ponte em Fortaleza. premiocura.com.br

ZOOM ARQUITETURA
O conceito de parklet (foto) inspirou uma série de trabalhos deste escritório, liderado por Guilherme Ortenblad, 32. As estruturas foram montadas em São Paulo, em bairros como Pinheiros e Vila Madalena, e também em Goiânia e em Jundiaí. Nesta última cidade, a equipe também desenvolveu o conceito do urbanismo caminhável, com intervenções para incentivar os moradores a andar a pé. Outra iniciativa foi resgatar as brincadeiras de rua. Equipamentos desmontáveis para ensinar as crianças a se divertir no espaço público podem ser guardados nos parklets. zoom.arq.br

JULIANA CAFFÉ E YUDI RAFAEL
A dupla de curadores, 32 e 30 respectivamente, lidera a Residência Artística Cambridge, que parte da ideia de convidar artistas para vivenciar a rotina do grupo sem-teto que habita o antigo hotel no centro de São Paulo. Com viés político, o projeto terá um ano de duração e, nesse meio tempo, alimentará uma plataforma com vídeos e relatos. Estão previstas ainda exposições e trabalhos relacionados com a população do entorno. O escritor Julián Fuks e os artistas plásticos Ícaro Lira, Jaime Lauriano, Raphael Escobar e Virginia de Medeiros se revezarão na residência até janeiro do ano que vem. facebook.com/res.artistica.cambridge

PAX
Paula Sertório, 31 anos, e Victor Paixão, 34, são sócios no Pax, voltado para arquitetura e design, e no Zeromáquina, com foco em cenografia, marcenaria e arte. Versáteis, já acoplaram varandas de 20 metros quadrados a um prédio dos anos 1970 no Itaim Bibi, na Zona Oeste, e criaram a Casa Oficina (foto), desenhada para a escola técnica Tecnomec em um imóvel em Pinheiros. Em três andares, estão distribuídas oficina mecânica, salas de aula e uma residência, o que valeu publicação do projeto na Domus, uma das mais tradicionais publicações de arquitetura do mundo. Já o balanço Cocar, apresentado em mostra em Dubai, nos Emirados Árabes, e a cadeira Daki, premiada no Salão de Design deste ano, estão entre as principais criações de design de mobiliário da dupla. pax.arq.br

arquitetos0629082016

TERRA E TUMA
Danilo Terra, 37, Pedro Tuma 38, e Fernanda Sakano, 28, sócios do escritório, transformaram um orçamento de R$ 150 mil em um dos projetos mais premiados deste ano, a Casa Vila Matilde (foto). A partir de um desenho belo e enxuto, uma residência prestes a ruir na Zona Leste paulistana se tornou exemplo da combinação de boa arquitetura e baixo custo. A obra foi paga com as economias que dona Dalva, que já habitava o imóvel há várias décadas, passara a vida toda juntando. Premiado como Building of the Year na categoria Casas, pelo site ArchDaily, também foi selecionado para integrar a mostra do Pavilhão Brasileiro da 15ª Bienal de Veneza, que vai até novembro deste ano. terraetuma.com.br

Texto originalmente publicado na revista Carbono Uomo n° 1

Veja mais