Design

À frente da curva

Filho do principal arquiteto contemporâneo espanhol, Pablo Bofill explica como mantém sua família ligada às inovações há 50 anos

por Athena Advisers 9 Jan 2018 09:16

Você não precisa procurar além do escritório da família de Pablo Bofill, o La Fabrica, localizado em uma antiga fábrica de cimento de 3.100 m² nos arredores de Barcelona, para entender que o pensamento “fora da caixa” é a base da abordagem do El Taller Bofill com relação à arquitetura, design e criatividade. Desde 2009, o parisiense Pablo atua como CEO do estúdio multidisciplinar que seu pai arquiteto, Ricardo Bofill Levi, criou nos anos 60 e que continua sendo uma das referências mundiais em design urbano inovador de grande escala, do qual o La Fabrica é apenas um exemplo. Renascido e reimaginado através de uma combinação de demolição calculada, adaptação, plantio de jardins surpreendentes e terraços, o La Fabrica é uma joia industrial que passeia entre o estilo brutalista e o surrealista de forma impressionante.

A execução épica do projeto é sintomática da abordagem meticulosamente rígida porém orgânica de Bofill ao design, também evidenciada na comunidade residencial Walden 7 – apelidada de City in Space (Cidade no Espaço) por Bofill – e desenvolvida durante uma aventura pelo deserto argelino na década de 70 com um grupo de sociólogos, matemáticos e artistas com o objetivo de reimaginar a vida em comunidade. Situada atrás do La Fabrica, a Walden 7 continua a ser um ícone da arquitetura espanhola amado por seus moradores por quase meio século. Ela com certeza supera a maioria das propriedades residenciais. Ao analisar a herança de quase 70 anos, os números de Ricardo Bofill impressionam: Nascido em uma família de mpreiteros em 1939, construiu sua primeira casa aos 17 anos, se tornou o principal arquiteto do El Taller aos 23 e já realizou 1.000 projetos em 50 países pela empresa. Além disso, o tour de force de talento criativo acumulado em torno dos Bofill não demonstra muitos sinais de enfraquecimento.

Como foi ser criado no mundo de seu pai?
Eu nasci em Paris e cresci lá, criado por pai arquiteto e mãe artista. A criatividade era o centro da minha educação, e uma visão para o futuro, em vez de uma detalhada análise do passado, colocava novos projetos constantemente no cerne de nossas discussões.

Você sempre quis ser arquiteto?
Não sou um arquiteto. Minha educação arquitetônica e artística e minha formação em cinema e negócios me levaram a ingressar na equipe do Taller como produtor quando eu tinha 30 anos. Meu trabalho é formar as equipes, organizar o trabalhos dos grupos escolhidos para cada projeto e orientar o ritmo da produção.

Quais foram as principais lições que você aprendeu com ele?
Eu aprendi que a criatividade não é inata, e sim o resultado de perseverança, rigor, curiosidade e contemplação.

Em que projeto você mais gostou de trabalhar e por quê?
O projeto da Universidade Mohammed em Ben Guerir foi uma experiência única. Tivemos que criar um projeto com base na realidade do que era possível fazer com a construção local. Queríamos trabalhar de acordo com as tradições e a arquitetura marroquinas ao projetar os diferentes espaços da universidade. A maioria das pessoas que vivem na região do Marrocos é de mineradores e agricultores. As técnicas de construção modernas são pouco desenvolvidas e não há muitos construtores. Tivemos que levar isso em consideração, então o desafio foi produzir o lugar que imaginávamos tendo que incorporar essas restrições técnicas ao processo de design e construção. Por outro lado, houve um entusiasmo imediato pelo que o projeto da universidade significava simbolicamente. Esse lugar está destinado a se tornar não só o principal centro de educação do Marrocos, mas de todo o continente africano. Está promovendo o acesso ao ensino superior às populações que muitas vezes têm que desistir dessa ideia porque o custo é muito alto.

Como vocês se mantêm de forma contínua na curva da inovação como líderes do setor há mais de 50 anos?
A renovação do nosso vocabulário na produção da arquitetura deve-se, em primeiro lugar, a uma constante autocrítica do trabalho concluído. Essas avaliações regulares nos permitiram projetar nossa arquitetura para o futuro, com base em um vocabulário com múltiplas identidades. Durante os últimos cinquenta anos, a equipe do Taller vem sendo formada por um número de arquitetos que é pequeno o suficiente para que suas mentes se conectem, porém grande o suficiente para que a amplitude do trabalho nos permita produzir internacionalmente. A diversidade da proposta do Taller durante este longo período emana, sem dúvida, da combinação das diferentes personalidades que se expressam em conjunto.

Como é trabalhar no La Fabrica e como é a cultura de trabalho?
O La Fabrica é um espaço que propicia a criação e a reunião de pessoas e ideias. O espaço é animado por culturas diversas, mas ajuda a desenvolver um sentimento de pertencer, seja a um grupo, ou a uma equipe de trabalho unida em torno de projetos com diferentes tipologias. Colocar a arquitetura do Taller no centro exclusivo do La Fabrica definitivamente ajudou a fortalecer a equipe e enriquecer suas propostas. Esta autonomia adquirida através da experiência nos permitiu desenvolver nossa própria dinâmica de design.

Qual foi o papel do RBTA na evolução urbana de Barcelona?
Barcelona é a cidade que abriga todos os períodos do design arquitetônico do Taller. Barcelona se transformou nos últimos cinquenta anos. Diversos eventos proeminentes contribuíram para a sua ascensão e o Taller participou de sua transformação em todos esses momentos—desde os seu primeiro projeto residencial de tijolo até a construção do aeroporto. Durante muito tempo, Barcelona parecia estar aprisionada pelas montanhas ao norte a ao oeste. O maior projeto urbano desenvolvido nos últimos 30 anos foi a reorientação da cidade em direção ao mar. O Taller também se destacou na conversão de áreas industriais—uma parte única do patrimônio de Barcelona—em espaços viáveis conectados à malha urbana.

Para você, quais são os principais desafios para o mundo e a vida urbana e como você acha que eles podem ser superados?
O desafio ainda hoje para a cidade e para os planejadores da cidade é, em primeiro lugar, abrigar as pessoas de uma forma decente, colocando as pessoas de volta no coração da cidade e a urbanidade que ela deveria resguardar. A absorção da inovação tecnológica para produzir o mais livremente possível e a adaptação às condições de vida de onde quer que o projeto esteja sendo desenvolvido são elementos que devem ser levados em consideração ao realizar trabalhos arquitetônicos hoje.

Se você pudesse inovar em uma área do design de Barcelona hoje, onde e qual seria?
Barcelona abandonou sua produção artesanal há muito tempo para construir de maneira padronizada. O desafio hoje é trabalhar com os diferentes setores para formular uma arquitetura mais inovadora, mas que mantenha sua identidade local. O Poble Nou é possivelmente o bairro que vem sofrendo as mudanças mais interessantes atualmente. Sua malha industrial e sua transformação urbana serão um desafio fascinante nos próximos anos.

Como os espaços urbanos devem ser transformados?
Uma cidade deve desenvolver-se dando aos indivíduos a sensação de serem livres para escolherem seu local de residência. Tem que encorajar o movimento das pessoas e dar-lhes a chance de desenvolverem laços sociais e cultivá-los.

O que você gosta na arquitetura e no planejamento urbano?
A arquitetura é uma disciplina que está profundamente ligada às ciências sociais. Ela claramente implica uma compreensão dos costumes e culturas sociais dos lugares onde construímos. Partir da ideia de individualidade para finalmente propor espaços que ultrapassam a escala humana é um parâmetro constante e fascinante. Gosto do fato da arquitetura das cidades oferecer um elemento essencial para a compreensão e reconstituição da história de um lugar.

Onde você mora em Barcelona?
Em Eixample, um bairro criado no século 19, quando Cerdà estava realizando o planejamento urbano. É um bairro central, um ponto intermediário entre as diferentes áreas de Barcelona.

O que você ama na cidade?
Em Barcelona, o poder estatal e as grandes empresas têm pouca presença. Isso permite que as pessoas se desenvolvam de forma mais livre e espontânea e tracem seus próprios caminhos criativos sem que se sintam como se estivessem sendo observadas.

O que te inspira mais no legado de arquitetura e design da cidade?
Barcelona é uma cidade onde todas as casas são diferentes. As ruas são geralmente replicadas de acordo com o plano de Cerdà, mas todos os edifícios são totalmente diferentes uns dos outros, como uma casa de Gaudí, onde cada porta, cada maçaneta, cada detalhe é único.

O que você recomenda que as pessoas que querem obter uma visão interessante sobre a arquitetura da cidade façam?
Para descobrir a cidade eu recomendo passear e se perder.

Leia essa e outras reportagens da Athena Advisers clicando aqui.

Athena Advisers

Investimento, propriedades e lifestyle. A Athena Advisers é uma consultoria boutique especializada em propriedades high-end em Lisboa, Barcelona, Côte d’Azur, Alpes, Paris e Londres. A agência foi uma das primeiras a fincar bandeira na capital portuguesa prevendo o boom imobiliário que faz da cidade o novo eldorado do real estate internacional.