Arte

A ascenção dos irmãos Duffer

Quem são Matt e Ross Duffer, os autores por trás do sucesso de “Stranger Things”

26 Jul 2016 17:19

Com ambientação nos anos 1980 e uma série de homenagens a filmes, livros, histórias em quadrinhos, brinquedos e jogos, o seriado Stranger Things faz sucesso de crítica e público, tornando-se em duas semanas a maior coqueluche do Netflix. Por trás das história estão dois irmãos gêmeos, Matt e Ross Duffer, iniciantes em Hollywood, que do dia para a noite se tornaram as maiores esperanças dos gêneros de suspense e terror.

Nascidos no ano de 1984, os dois irmãos Duffer são produtos de uma geração que cresceu lendo alguns dos maiores romances de Stephen King, assistindo no cinema os filmes de John Carpenter, Wes Craven e Steven Spielberg, enveredando pelos primeiros videogames e pelo fantástico mundo dos RPGs.

32 anos depois, os Duffer colocaram tudo aquilo que aprenderam em prática. Stranger Things lembra muito o filme Conta Comigo, que eternizou Keith Sutherland, River Phoenix e John Cusack; e também o seminal obra A Coisa, de Stephen King. Os grupos de amigos do seriado remetem desde o clássico O Clube dos Cinco, de John Hughes, até Os Goonies, de Richard Donner.

Antes de Stranger Things, os irmãos Duffer fizeram apenas um longa-metragem, Hidden, protagonizado por Alexander Skarsgård (True Blood, A Lenda de Tarzan). A produção começou a ser gravada em 2012, e lançada apenas no ano passado. Tudo foi bancado pela Warner Bros., que financia os Duffer desde a época em que eles eram promessas na faculdade de cinema, na qual já produziam curta-metragens de terror. “Os filmes de Steven Spielberg foram grandes marcos do período da nossa formação. Queríamos invocar o sentimento de maravilha que lembrávamos das nossas infâncias, desde E.T. até os romances de Stephen King”, disse Matt Duffer ao jornal britânico The Telepraph.

Duffer contou o que mais agradava nos filmes dos anos 1980, em detrimento da maneira que eles são feitos hoje: “filmes de gênero hoje em dia giram em torno do espetáculo. O que amávamos nos filmes da nossa infância era o grande trabalho de construção da história. Eles sempre eram sobre lugares onde o comum se cruza com o extraordinário.”

Ainda ao Telegraph, Matt Duffer disse que ele e seu irmão eram nerds nos anos 1980, por isso tantas referências em Stranger Things. Sobre os garotos jogando RPG, ele revela: “aquele foi o momento mais autobiográfico da série. Jogávamos Dungeons & Dragons e Magic: The Gathering. Eram nossas obsessões junto com o videogame. Há muito de nós naqueles personagens.”

Já ao jornal Irish Examiner, os irmãos reforçam a nerdice, e dizem que fazem cinema desde a terceira série do colégio. Para eles, John Carpenter foi o maioral dos anos 1980. “Acreditamos que Halloween é perfeito. O Enigma de Outro Mundo também é um filme perfeito. Estes são os dois que mais nos causaram impacto quando éramos jovens. Algo como Halloween é tão simples, e o terror se distanciou demais dessa sensação.”

E para terminar, a trilha sonora do seriado é a verdadeira homenagem ao melhor dos anos 1980. De Bangles a David Bowie, ela marcou não só a formação dos Duffers, mas de muitos de nós aqui da Carbono Uomo. Com o sucesso que a trilha sonora de Guardiões da Galáxia, da Marvel, fez na internet, os produtores de Stranger Things fizeram o mesmo e subiram as músicas do seriado em uma playlist exclusiva no Soundcloud, que você ouve clicando aqui.

Veja mais